Publicidade

Publicidade

sábado, 30 de janeiro de 2016

Várias Prefeituras Anunciam Abono e Chapadinha com 11 Milhões em Conta Nem Responde ao Sindicato


Santa Rita pagou R$ 1.500,00 de abono aos professores quinta-feira (29), Olha D’Água das Cunhas paga hoje R$ 2.000,00 aos servidores da educação,  Coroatá pagou R$ 2.050,00 faz dias, Caxias e várias prefeituras anunciam pagamento de abono para a semana que antecede ao carnaval. Em Chapadinha - a prefeitura com 11 milhões em conta, 8 milhões só da Educação e 5,9 milhões de complementação extra do FUNDEB – não se fala de abono e Belezinha sequer responde aos questionamentos do Sindicato dos Servidores.

SINDCHAP: Chapadinha: Mais de 5 Milhões e 900 Mil reais na conta e Nada de Abono!

5,9 Milhões Extras e Nada de Abono em Chapadinha

“Esses resíduos (R$ 5.987.372,88) representam 15% dos recursos de FUNDEB que não foram repassados à Chapadinha em 2015. Resíduos são as partes que sobram de um determinado processo. Se é resíduo, é sobra, se é sobra e de acordo com a LDB 60% dos recursos do FUNDEB devem ser repassados aos professores em efetivo exercício da sala de aula como forma de... Complementação Salarial ou ABONO (Como foi feito nos municípios acima citados). Os 40% restantes podem ser pagos em forma de abono para Vigias e Auxiliares de Serviços Gerais e/ou Reforma e Ampliação de Escolas”, diz Sindicato.

De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Chapadinha, pelo rateio dos 60%, cada professor teria o direito de receber cerca de 4 mil reais imediatamente em suas contas. “O SINDCHAP, requer o cumprimento da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) e a Lei N.º 11.494/2007, que regulamenta a destinação dos resíduos (sobras) do FUNDEB para rateio entre os profissionais do magistério de acordo com a lei, os profissionais do magistério dispõem das garantias de no mínimo 60% dos recursos do FUNDEB”, exige o SINDCHAP.

A presidente do Sindicato, professora Jane Andrade lembra que “a prefeita Belezinha quando candidata dizia que não seria preciso “bater panela” para que os professores tivessem seus direitos respeitados e que o abono seria pago no dia seguinte ao depósito das complementações nas contas da prefeitura, lamentamos que hoje a prefeita sequer responde as reivindicações da categoria e obriga o Sindicato a entrar mais uma vez na justiça para ter o direito assegurado”, finaliza Jane Andrade e a prefeitura mantém o silêncio como resposta. 

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

O Funil Não Para! Caminhão da Loja da Prefeita Novamente Flagrado Entregando Material Pra Prefeitura


Pouco mais de uma semana depois do registro dos caminhões da empresa Júnior Construções, de propriedade da prefeita Belezinha, entregando material na obra da reforma da escola Manoel José de Santana, o chamado esquema do Governo Funil – em que lojas e empresas de Belezinha e familiares figuram como fornecedores da administração municipal comandada por ela – prossegue livremente com entrega de material de construção em obra de um posto de saúde na Zona Rural do Município.

O flagrante de ontem aconteceu na localidade Conceição, onde a prefeitura toca obra de uma Unidade Básica de Saúde com recursos do governo federal. Segundo moradores a obra estava parada há mais de um ano até que na manhã desta quinta-feira (28) um caminhão da loja da prefeita apareceu descarregando material.



“A construção do posto de saúde da Conceição, tava com mais de um ano paralisada, hoje pela manhã, por volta das 10 horas, passei pelo referido povoado e olha a cena lastimável que me deparei: um caminhão da Junior Construções entregando tijolos na referida unidade”, relatou um proprietário rural que nos mandou as fotos e preferiu não se identificar. “Gostaria que o amigo publicasse denunciando mais um ato de improbidade administrativa da atual prefeita”, completou.

Quando chama atenção para a possibilidade da prática de crime de improbidade administrativa o produtor rural é respaldado pela lei que diz que empresa de propriedade da gestora ou de familiares seus não pode fornecer para o poder público. De acordo com art. 9º da lei de licitações (Lei nº. 8.666/93) a prefeita e seus familiares são impedidos de fazer contrato ou fornecer ainda que de forma indireta para a prefeitura.

Sem controle ou fiscalização e com flagrantes diários, Belezinha aumenta o desdém às autoridades, tripudia dos demais empresários locais e Chapadinha continua sendo a única cidade do Brasil onde o prefeito pode comprar material de loja de sua propriedade.


Em tempo: a prefeitura não responde a questionamentos do blog antes das publicações e depois de mais de uma semana, nenhum comentário ou posicionamento sobre a matéria da escola Manoel José de Santana foi dado à sociedade. 

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Maranhão, Ceará e Piauí Retomam a Rota das Emoções


Os governadores do Maranhão, Ceará e Piauí, respectivamente Flávio Dino, Camilo Sobreiro e Wellington Dias assinam hoje, na capital maranhense, o contrato de rateio para a reativação da Agência de Desenvolvimento Regional Sustentável (ADRS). Criada para desenvolver o turismo da Rota das Emoções, a entidade é um consórcio público que compõe destinos dos três estados. A assinatura do contrato inicia as ações para a efetiva retomada do desenvolvimento do roteiro que passa por 14 cidades da Rota das Emoções.
A efetivação do contrato é o resultado das discussões iniciadas durante o Salão da Rota das Emoções, em Jericoacoara (CE), ano passado. Em setembro, o Maranhão sediou o encontro de apresentação do novo plano de ação da agência, que é um braço executivo do Consórcio Público do Norte dos Estados do Maranhão, Piauí e Ceará, criado em 2007.
De acordo com a secretária de Turismo do Maranhão, Delma Andrade, a atuação da ADRS compreende a promoção e o apoio a comercialização de produtos turísticos, a qualificação da mão de obra do setor, e o fortalecimento entre os municípios integrantes. 

A Rota das Emoções envolve 14 municípios do Maranhão, Piauí e Ceará. No Maranhão, a rota integra os municípios de Barreirinhas, Paulino Neves, Araioses, Tutóia e Santo Amaro. No Piauí, envolve os municípios de Ilha Grande, Parnaíba, Luís Correia e Cajueiro da Prata e, no Ceará, Barroquinha, Camocim, Chaval, Cruz e Jijoca de Jericoacoara.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Cadê a Transparência? Critérios Legais Reprovam Belezinha


Em seguidas matérias fanfarronas, o governo Belezinha se apresenta como transparente: corre para justificar que o dinheiro que o governo Flávio Dino manda para equipar a UPA (que, por sua vez, está sendo construída com recursos federais) virá por meio de emenda do deputado que a prefeita apoiou e comemora aptidão para celebrar convênios por mínimos critérios estabelecidos pelo Tribunal de Contas do Estado. Já com relação à matéria deste blog sobre o fornecimento de material pela empresa de Belezinha a obra da prefeitura e sobre o questionamento (do Blog do Foguinho) com gasto de 320 mil em suposta compra de quentinhas, nenhuma palavra até aqui.

Diferente do que divulgam os blogs ligados ao governo municipal, recente mente Chapadinha apareceu com ZERO absoluto no quesito transparência segundo dados da CGU, apurados em setembro de 2015. A situação melhorou quando Chapadinha passou a ter portal transparência (ainda que limitadíssimo) e subiu alguns décimos. Se era zero integral agora é 0,6 ou 0,8 por conta do portal de informações sobre parte da contabilidade pública, que – como se constata na planilha abaixo, em informação repassada pelo próprio TCE – Chapadinha está longe de ser aprovada no critério transparência.

Critérios Legais Reprovam Chapadinha
“Ocorre que estudo realizado por especialistas, a pedido do blog (do Marco Déça), mostrou que dos 37 “aprovados” pelo TCE apenas sete atendem todos os requisitos exigidos pela legislação, no que se refere à transparência. São eles: Lagoa do Mato, Lagoa Grande do Maranhão, Matões do Norte, São João do Sóter, São Luís, São Roberto e Vargem Grande”, relata o blogueiro Marco Aurélio D'èça, que fez pesquisa exaustiva sobre o tema.

“Dos 37 aprovados pelo TCE, 19 (Chapadinha entre eles) só devem ter entrado na lista pela boa vontade dos conselheiros, já que não atendem a todos os requisitos exigidos”, conclui o jornalista.


No caso especifico de Chapadinha o TCE atesta que o município tem domínio oficial (página na Internet) com algumas informações, mas nos quesitos e-sic e aviso de licitações a resposta é não, o que faz com que se cravasse um REPROVADO nas alegadas transparência de Belezinha. Veja tabela acima. 

Enquanto esperamos explicações sobre as quentinhas e o Funil da Júnior Construções, constatamos que se Belezinha tirando 0,6 ou 0,8 fosse aprovada em transparência, dar-se-ia Zero Total era pra instituição avaliadora.     

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Sem Pudor! Lojas de Belezinha Continuam Fornecendo Pra Prefeitura e Governo Funil Debocha da Justiça


No começo do governo, a prefeita Belezinha tinha tanto medo que descobrissem que suas empresas ganhavam dinheiro da prefeitura de Chapadinha, fato tão ilegal quanto imoral, que ela chegou a cobrir logomarca e até a placa de uma caçamba de sua propriedade com fita adesiva num caso que acabou ganhando repercussão estadual e foi reproduzido por vários blogs de São Luís.

Camuflagem do Caminhão de Belezinha / Janeiro de 2013


Passados três anos sem nenhuma providência a que se tenha tido conhecimento a atuação das empresas de propriedade de Belezinha são tão corriqueiras e acintosas que já não há qualquer tentativa de esconder a ilegalidade e flagrantes são registrados a toda hora.

Scania de Belezinha e dados do Veículo em Janeiro de 2016

O caso mais recente aconteceu na Escola Manoel José de Santana em que uma carreta em nome de Belezinha e um carro com a logomarca da empresa Júnior Construções, de propriedade da prefeita, são flagrados descarregando material de construção para obra da Escola Manoel José de Santana em plena manhã desta sexta-feira, 22 de janeiro.

O carro com a logomarca da Júnior Construções já foi pego entregando material em outras ocasiões. A novidade é a Scania vermelha, Placa NFN 4961, registrada em nome de MDP Cordeiro Comércio, empresa de propriedade da gestora municipal que leva seu nome próprio e completo: Maria Ducilene Pontes Cordeiro.

A repetição dos flagrantes das empresas de Belezinha fornecendo material para a prefeitura que ela mesma dirige consagrou à sua gestão o apelido de Governo Funil, onde todo o dinheiro público é escoado para as empresas dela e chama atenção para a imaginação da cena pitoresca da Belezinha prefeita que deveria buscar preços mais justos a bem da economia municipal negociando com Ducilene empresária que tem o propósito de aumentar o lucro ao máximo que puder. O leitor deve bem imaginar qual das duas Belezinhas sairá vencendo tais negociações.

Com o preço estipulado pela Belezinha empresária, a Belezinha prefeita é capaz de fazer uma escola pelo preço de duas e a sociedade só perde enquanto o esquema sistemático de beneficiamento das empresas privadas da prefeita prossegue sem qualquer cerimônia até que quem sabe um dia cause vergonha ao Ministério Público, Tribunais de Contas, Câmara de Vereadores e outras autoridades que deferiam fiscalizar e coibir tais abusos.        
Veja Vídeos da Entrega do Material

video
video

Emenda de Levi Pontes Assegura Corpo de Bombeiros para Chapadinha e Região


Uma emenda no valor de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais), de autoria do deputado Levi Pontes / Solidariedade, foi incluída no orçamento do governo do estado do Maranhão para a implantação de uma unidade do corpo de bombeiros militar em Chapadinha.

Diário Oficial de 30 de Dezembro Confirma Corpo de Bombeiros

A emenda faz parte da Lei Nº 10.405 de 30 de dezembro de 2015 que foi aprovada pela Assembleia Legislativa no final do passado. Com o recurso consignado no orçamento e com o compromisso do governo de implantar o corpo de bombeiros em Chapadinha o deputado Levi Pontes manifesta seu otimismo com a conquista. “Garantimos os recursos por meio de emenda de nossa autoria, temos o compromisso do governador e vamos ficar cobrando para o quanto antes termos um quartel dos bombeiros que será de grande importância para Chapadinha e toda Região”, disse o parlamentar.

Depois de assegurados os recursos necessários com a inclusão da emenda no orçamento geral do estado para 2016, a Secretaria de Segurança Pública que comanda as ações do Corpo de Bombeiros deve iniciar o processo de licitação e adotar outras providências para a instalação definitiva da unidade em Chapadinha.   

Imagem Ilustrativa

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Carlos Lula: unidades de 20 leitos nem são consideradas hospitais para o Ministério da Saúde


O subsecretário de Saúde do Maranhão e presidente da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), Carlos Eduardo Lula, concedeu entrevista exclusiva aos Blogs Marrapá e Clodoaldo Corrêa. O secretário falou sobre a mudança de diretrizes da gestão da saúde no Maranhão, o período conturbado de transição para a gestão da empresa pública e os novos caminhos da saúde.
O subsecretário enfatizou que o novo modelo de saúde prioriza os hospitais regionais, uma vez que os famigerados hospitais de 20 leitos não são financiados pelo Ministério da Saúde e não resolvem o problema. Ou seja, um grande engodo criado por Ricardo Murad.
Ele assegurou que não existem funcionários da EMSERH com salários atrasados e hoje está solucionado o problema de falta de abastecimento nas unidades de saúde.
Lula enfatizou que o primeiro ano foi para sanar as irregularidades, uma vez que é público e constatado pela Polícia Federal os desvios da secretaria na gestão do ex-secretário Ricardo Murad.
O senhor que é um advogado muito conhecido no meio político e começou sua atuação no governo Flávio na Casa Civil onde tem mais afinidade. Por que a mudança para a secretaria de Saúde e como se deu essa mudança?
A nossa vinda para a saúde foi no intuito de profissionalizar um pouco mais a gestão e em virtude da ascensão da Drª Rosângela Curado como deputada federal. Estando vago o cargo de subsecretário de saúde e ciente de que a Saúde é um setor crítico, e sabendo de todos os problemas em virtude da gestão de anos anteriores, de fato tem sido um desafio. Foram quatro meses de muito trabalho e aprendizado. Trabalhamos em turno de 12 horas por dia todos os dias da semana. Foi criado um monstro onde a saúde do estado se acostumou a viver com irregularidades e, por isso, no ano de 2015 o maior desafio foi regularizar essas irregularidades. Eu nem preciso falar sobre elas porque a própria Polícia Federal deu cabo disso sobre os fatos que aqui ocorreram.
E por falar nessas irregularidades que resultaram na Operação “Sermão aos Peixes”, o quanto este desvio prejudicou o primeiro ano de administração?
A gestão anterior não pagou novembro e dezembro de 2014. Em 2015, a gestão de Saúde do estado pagou 14 meses ao invés de 12. Uma gestão que passa para outra uma dívida dessas, dá noção da dificuldade que seria. A saúde é ininterrupta. Podemos usar a Educação como exemplo, que tem uma estrutura tão grande quanto a nossa. Mas à noite as escolas fecham e ficam apenas os guardas vigiando. A saúde funciona 24 horas por dia. Por isso, fizemos primeiro um processo licitatório para diminuir os custos das unidades e fazer a matemática para pagar 14 meses.
Como é sua relação com o secretário Marcos Pacheco?
A Saúde é muito grande. A minha relação com Dr. Marcos é muito tranquila. De todo modo, ficou definido que eu teria uma relação muito maior com os institutos e ele ficará na discussão da Saúde de forma macro, da divisão dos conglomerados, o perfil de cada unidade e a finalização dos novos hospitais. Nós atuamos em conjunto, em parceria.
Quais as mudanças em relação à gestão anterior da saúde?
Nós mudamos o norte. O que pensamos acerca de saúde, é totalmente oposto. Pensamos nos hospitais regionais funcionando, pensamos no financiamento da atenção básica – por isso temos a força estadual -, penamos em seletivo e concurso público ao invés de indicações, pensamos em gerenciamento dos custos, diminuir custos, gerenciar melhor o dinheiro público e, sobretudo, ter mais transparência. É incrível que a antiga Controladoria, hoje secretaria de Transparência e Controle, não tinha acesso aos dados da saúde porque a eles não era dado acesso. E de nossa parte, pedimos é que a secretaria tenha acesso e saiba de tudo que se faz.
Subsecretário, a Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH) substituiu o Instituto ICN, envolvido diretamente nas investigações da Operação Sermão aos Peixes. Como se deu essa transição e como ficou a questão dos funcionários do ICN e da relação do instituto com a secretaria?
O ICN participou da licitação. É curioso que antes já diziam que era de cartas marcadas e o ICN ficaria de fora e eles ganharam. Chegou a melhor proposta e ganharam dois lotes. Esses dois representavam metade das nossas unidades.  E quando veio a determinação da Justiça Federal para rescindir o contrato com o ICN nós adiantamos um projeto que era de médio prazo. A instituição da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares nos moldes da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. Nós a fortaleceríamos aos poucos. Nosso planejamento era pegar uma unidade hospitalar a cada seis meses. A EMSERH começou administrando quatro e depois já tinha 24 unidades para administrar. Diante da decisão judicial não tínhamos o que fazer. De fato, tem sido um desafio e acumular a presidência da EMSERH com a subsecretaria e vemos ótimos resultados. Damos maior qualidade e diminuímos os custos. Agora, ainda leva um tempo. Agora, as novas unidades que serão abertas pelo governo, todas serão já administradas pela EMSERH. O ICN alegava nas prestações que precisava de mais dinheiro para administrar. O estudo dessas contas não foi concluído por conta da Operação Sermão aos Peixes. O governador decretou a absorção dos funcionários do ICN pela EMSERH. O que a gente chama de requisição administrativa. Assim, elas ficam vinculadas ao ICN, mas são pagas diretamente pela EMSERH.
Houve alguma queda na qualidade do atendimento das unidades?
No período crítico logo após a Operação Sermão aos Peixes isso aconteceu de algum modo. O recurso que havia sido pago ao ICN para pagamento dos médicos foi bloqueado pela Justiça. Mas já aconteceu. Tivemos que requisitar os valores, procedimento no banco, achamos algumas irregularidades do ICN no pagamento. Corrigir o que está errado não é fácil. Mas isso já está pacificado. Não há mais atrasos ou desabastecimento das unidades. Nestes 30 dias, conseguimos regularizar. Não faltam medicamentos, não faltam insumos, nada. Temos só a melhorar e otimizar os nossos gastos. Quando partimos para as unidades, vemos o quanto a ampla propagando do governo anterior de que era o maior programa de saúde e o Maranhão estava no óásis foge da realidade. Problemas estruturais foram relegados. Só com dois telhados, vamos gastar mais de R$ 1 milhão. No telhado do Hospital Juvêncio Matos colocaram uma lona porque é caro trocar madeira, telha. Nós estamos humanizando as UPAs, principalmente da capital. A UPA da Cidade Operária está passando por reforma. E logo mostraremos uma administração de saúde real.
A EMSERH está com salários atrasados?
Não existe nenhum salário atrasado da EMSERH. Agora vamos aos outros institutos. Existe Corpore, Acqua, IDAC, Invisa e Gerir. Infelizmente, eles não têm se mostrado zelosos em conseguir administrar as unidades com o que tem sido repassado. Os repasses do governo estão sendo feitos todos em dia. E todos requereram ainda em 2015 aditivos aos contratos alegando que o valor é insuficiente para gerir as unidades. Por isso, tivemos problema em Pinheiro, em Coroatá. Nós concedemos parte do que eles requereram para que em 2016 não tenhamos mais este problema. Nem de fornecedor, nem de atraso de salário. Nós estamos mostrando na EMSERH que é possível. Se a EMSERH consegue pagar todos em dia, por que os outros institutos não conseguem?
Existe um projeto para desterceirizar essa mão de obra e passar toda a administração para a empresa pública e para a própria secretaria?
Isto ainda está sendo planejado e estudado pelo governador. Os contratos encerram 12 de maio. Podem ser renovados, pode haver uma nova licitação ou passar tudo para a EMSERH. Agora, o modelo de OS e OSCIP funciona no Brasil inteiro. A empresa pública não pode ter um problema com licitação. Se faltar um medicamento, a OSCIP tem muito mais facilidade de comprar. E na Saúde, acontecem emergências que agilizam. Eu, particularmente, defendo um modelo misto. A EMSERH como grande modelo, um referencial de gasto, de valor para as outras seria o ideal.
A EMSERH começou absorvendo os funcionários do ICN e depois realizou grande seletivo? Como está o andamento desse certame? Haverá ainda o concurso público?
Nós fizemos seletivo para 7.902 vagas, O maior dos últimos 25 anos no âmbito do Estado. Na saúde, tínhamos contratações equivocadas, por razões políticas. E a gente fará isso agora de maneira imparcial. Exclusivamente por mérito. A previsão é que comecem a ser chamados a partir de junho. O que acontecerá é a formação de um grande banco de aprovados. Tanto a EMSERH quanto as OSCIPs só poderão chamar pessoas deste banco. Há o planejamento para fazer concurso público, inclusive para médicos. Anteriormente, os médicos não eram contratados por meio concorrencial. Agora, será necessariamente por meio concorrencial. Estamos discutindo para que isso seja feito logo. A definição sobre como será o concurso sai ainda no final do primeiro semestre de 2016.
E o famigerado programa Saúde é Vida?
O programa peca em dois pontos. Primeiro por que virou as contas para o SUS e o Ministério da Saúde. As famosas unidades de 20 Leitos, que o Ministério da Saúde não considera nem hospitais, não são financiados, porque eles vão contra a política do Ministério, são a maior parte do programa. São 49 hospitais de 20 leitos. Eles foram cedidos aos municípios. São obras caras, a manutenção é mais cara ainda e não atendem às demandas. Vão ser unidades que pouco vão alterar o quadro de saúde. Por isso, o governo resolveu investir nos hospitais acima de 50 leitos. As obras continuam. Inauguramos ainda no primeiro semestre Caxias e Santa Inês. Está sendo feito com velocidade Imperatriz e Chapadinha. Estes são hospitais regionais com capacidade de atender às demandas da Região. Como o Hospital de Pinheiro. Um hospital grande, com 120 leitos que tem capacidade de atender a Baixada inteira. E vamos entregar muitas obras nos próximos três anos neste sentido. Uma obra que tenha resolução dos problemas e possa ser financiada pelo Ministério. Não adianta fazer algo impagável. Temos que fazer uma reengenharia para dar uma nova configuração a estas 49 unidades. Manter um hospital em um ano é um gasto muito maior do que fazer. O Hospital de Pinheiro, por exemplo, custou R$ 20 milhões e para manter são R$ 3,8 milhões por mês.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Prefeitura Anuncia 4 Mil Reais de Abono a Professores, em Colinas

Em comunicado aos professores da rede municipal de ensino, o prefeito Antonio Carlos, de Colinas – MA, anunciou dois abonos salariais, a serem pagos no final do mês de janeiro e início de fevereiro, cuja soma chega a quase R$ 4 mil.

No comunicado o prefeito informa que o primeiro abono no valor de R$ 940,00 será pago até o dia 30 de janeiro e será destinado a todos os professores que estiveram em efetivo exercício por todo o ano de 2015.

Numa outra situação o abono de R$ 443,99 será pago aos novos professores que ingressaram na docência municipal por intermédio do concurso público realizado pela prefeitura.

O segundo abono, no valor de R$ 2.500,00, será pago a cada professor logo que os recursos para este fim forem disponibilizados para a prefeitura, com previsão para a primeira semana de fevereiro.



Para pagar o abono o prefeito de Colinas usou recursos de complementação da União que foram depositados nas contas dos municípios no último dia 31 de dezembro e por lei devem ser repassados aos servidores por meio de abono ou aumento real de salário. No caso de Chapadinha, como demonstra o extrato do Banco do Brasil, a complementação foi de R$ 1.873.294,21 e, como nenhum abono foi anunciado, ninguém sabe o que foi feito com a dinheirama. 

Com Informações do Blog do João Badeco

Belezinha é Recebida Por São Pedro e Garante Chuva Para Chapadinha


A prefeita de Chapadinha, Ducilene Belezinha e o secretário municipal de Articulação política, Aluízio Santos, cumpriram na manhã desta terça, 19, agenda de compromissos no Jardim do Éden. A convite do papa emérito Bento XI, eles participaram de uma reunião com o Coordenador Geral do Paraíso para Assuntos Pluviométricos, Pedro Simão, que é mais conhecido como São Pedro, para tratar do aumento da incidência de chuvas para Chapadinha. “Mesmo estando fora do período, conseguimos com São Pedro a liberação de nuvens carregadas e as chuvas vão acontecer nas próximas horas graças ao nosso pedido”, comemorou a prefeita Belezinha.

Por mais absurdo que possa parecer, o desespero de Belezinha por mídia favorável, na tentativa de reverter sua rejeição chega a produzir coisas semelhantes em sua comunicação oficial e mídias pagas.

A farsa consiste em obter informações sobre ações de diferentes esferas governamentais em benefício de Chapadinha e se antecipar tentado aparecer perante a população como mãe da ideia ou supondo que a melhoria só veio graças a sua intervenção ou pedido.

Matéria de 13 de Janeiro de 2015

O exemplo mais recente foram as notas sobre homologação do aeroporto e a instalação do Shopping Cidadão (como antigos Sarneysistas, eles ainda chamam de Viva Cidadão) ambos anunciados – entre outras – pelo deputado Levi Pontes como reivindicações suas ao governador Flávio Dino, ainda no início do mandato, janeiro de 2015.

A costumada a anunciar obras tocadas com verbas federais como sendo de recursos exclusivos da prefeitura, Belezinha que se acha mais astuta que a esperteza segue buscando enganar a população, que consciente e inteligentemente aguarda o momento para impor à mentirosa de sempre a desfavorável e definitiva verdade das urnas.   

Pacientes Denunciam Falta de Raio X no HAPA

Raio X com Problema em Menos de Um Ano de Uso


Um comentário assinado por Rafael Aragão, via Facebook, denunciando condições precárias e a falta do aparelho de Raio X gerou forte repercussão e foi seguido de várias reclamações. 

“Cara tô muito revoltado com essa saúde aqui de Chapadinha, por outro lado parabenizo todos os funcionários da saúde pública, médicos e enfermeiros que fazem, digamos, “milagres naquele hospital. Quer tirar uma prova? Vá lá, passe só 10 minutos pra você ver o descaso ou sinta o descaso como acabei de sentir. Como um hospital não tem Raio X para tórax?, indaga o paciente. “E se um idoso com pneumonia precisar? Ou uma criança? Um acidente com fratura?” completa Rafael, questionando ainda os gastos com o carnaval e com bandas caras.

A denúncia de Rafael Aragão foi confirmada por usuários do SUS que também reclamam do atendimento no HAPA. “Hoje mesmo eu fui lá com dor no tórax e também não tinha (Raio X)”, declarou Oliveira Lima também via redes sociais. “Minha vó precisou e teve que pagar (o Raio X) do Hospital São Francisco” confirma outro usuário por comentário. “Verdade passei 8 dias com minha filha internada e precisou de raio x e cadê? Tive que mandar bater no São Francisco pra ter a certeza que ela não tava com pneumonia. Pode uma coisa dessa? Isso já é de mais”, desabafou Ivanildes.

Há outros comentários e reclamações mais ofensivas que o blog deixa de publicar pela linguagem imprópria.

Secretário Nega Falta do Raio X e Usuários Insistem na Denúncia 

Apesar dos depoimentos, o secretário de saúde Alan Monteles - ouvido pelo blog - nega qualquer problema com o Raio X do HAPA e declarou que o aparelho funciona perfeitamente.

O blog voltou a ouvir alguns usuários que insistiram na denúncia do Raio X e acrescentaram falta de medicamentos, pediatras e que apenas um médico é encontrado para atender todas as demandas do único hospital de urgência e emergência de Chapadinha.
  


  

domingo, 17 de janeiro de 2016

Líder Sindical Crítico do Governo Reconhece Avanços em Pedrinhas


O ex-presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Maranhão (SINPOL), Amon Jessen (foto), reconheceu as melhorias implementadas no sistema penitenciário do estado. Em comentário publicado nas redes sociais e reproduzido no blog do Aldir Dantas, ele elogiou a organização e a estrutura da Penitenciária Feminina de Pedrinhas. Líder da greve dos policiais civis ocorrida ano passado e crítico contumaz da política de segurança do atual governo, Amon dessa vez deixou as críticas de lado reconheceu os avanços da gestão Flávio Dino no setor.

“Encontrei um ambiente prisional extremamente organizado, limpo, funcional e estruturado. Após o contato com a interna, pedi para olhar as outras dependências da unidade e à impressão foi ainda mais surpreendente e  gratificante, com um médico fazendo atendimentos em uma sala higienizada e uma psicóloga também atendendo as internas, tudo bem organizado e nem parecia um presídio. E escrevo isso Cézar já mentalmente fazendo uma simples comparação, pois em Março de 2014 também estive nesta unidade prisional e a diferença é amazônica”, relata.

Abaixo, o comentário na íntegra feito por Jessen.
Caro Cézar Bombeiro, passando para registrar a excelente impressão e constatação que tive na manhã de ontem (14) na Penitenciária Feminina de São Luís, onde estive juntamente com você, cuja finalidade foi de manter contato com uma interna, e solicitei que você me acompanhasse, no que de pronto fui atendido.

E para minha surpresa, encontrei um ambiente prisional extremamente organizado, limpo, funcional e estruturado. Após o contato com a interna, pedi para olhar as outras dependências da unidade e à impressão foi ainda mais surpreendente e  gratificante, com um médico fazendo atendimentos em uma sala higienizada e uma psicóloga também atendendo as internas, tudo bem organizado e nem parecia um presídio. E escrevo isso Cézar já mentalmente fazendo uma simples comparação, pois em Março de 2014 também estive nesta unidade prisional e a diferença é amazônica.

Por fim, olhei a fábrica de pães e a cozinha, parecia um ambiente particular, tudo com zelo e higiene. Relato isso e sei que receberei críticas, muitas com artilharia pesada, tanto faz, pouco me importa. Falo e relato o que com imenso prazer o que  pude constatar.

Como líder classista sempre tive posicionamento critico, diante dos Sistemas de Segurança Pública e Penitenciário, mas tenho a responsabilidade maior de primar pela seriedade e pela verdade, uma vez que não devo favores e nem tenho compromisso de qualquer ordem com segmentos políticos e as entidades que fazem parte da minha luta são o Sinpol e o Sindspem.

Do Blog do John Cutrim 

sábado, 16 de janeiro de 2016

Chapadinhamente Nós Confirma Baile a Fantasia no Carnaval 2016


O tradicional Baile a Fantasia que chega à sua 14ª edição foi confirmado pelo Movimento “Chapadinhamente Nós” para o sábado de carnaval, dia 6 de fevereiro, no Aldeota Clube.

O Baile promete manter a alegria de sempre, as fantasias que não deixam nada a desejar ao luxo e requinte dos grandes centros, as marchinhas dos eternos carnavais e o prazer de rever amigos que só se encontram por ocasião da festa.

Então prepare a fantasia e acesse ao Blog do Alexandre Pinheiro para se manter informado sobre todos os detalhes da festa mais bonita e tradicional do carnaval de Chapadinha.  

Foto: Júlio Foguinho

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Belezinha, a CGU Alheia e o Samba do Blogueiro Afoito


Virou "samba do crioulo doido" a notícia de que a prefeitura de Chapadinha teria sido – novamente – alvo da CGU no tocante a supostas irregularidades e nas contas públicas. Teve blog que colocou foto de Belezinha pra ilustrar a matéria e o secretário William Fernandes correu pra esclarecer que a fiscalização seria relativa a gestões anteriores (Magno Bacelar e Danúbia) chegando a desafiar blogs independentes e o próprio SINDCHAP a se pronunciar sobre o fato.

“Sindchap e demais defensores de Chapadinha, alguém aí tem algo a dizer sobre isso? Esse assunto é seríssimo e até agora não vi repercussão nenhuma”, provocou William Fernandes.

A polêmica em torno da gestão apontada em irregularidade pela CGU possivelmente foi gerada pela confusão entra a data do início da investigação e período abrangido por ela. “As contas da Prefeitura de Chapadinha mais uma vez foram alvos da ação fiscalizadora da Controladoria-Geral da União. Os trabalhos de campo foram realizados entre novembro de 2013 e fevereiro de 2014” diz a matéria do blog do Neto Ferreira. “Na ocasião, os auditores verificaram itens financiados com recursos repassados ao município no período de julho de 2006 a fevereiro de 2011 pelo Ministério do Turismo”, completa o blogueiro demarcando o período das alegadas irregularidades. Veja a matéria aqui.

Não resta dúvida, portanto, que a CGU não trata do governo Belezinha e sim da gestão de Magno e da ex-prefeita Danúbia, que ouvida pelo blog, estranhou a notícia dizendo não ter sido notificada e que pretende se defender quando tiver acesso ao teor da suposta auditoria.

A provocação de William Fernandes foi respondida pelo blogueiro James Galvão em comentário no Facebook. “Se a CGU tivesse identificado a irregularidade neste mesmo período e tivesse divulgado, tenho certeza que esta página (do William Fernandes) não iria divulgar, visto que os gestores da época eram patrões do nobre, assim como não divulga nenhuma irregularidade da gestão da atual prefeita que é sua nova patroa”, detonou James. 

Se o Sol continuar a nascer nos próximos dias, meses e anos as facetas de Belezinha, que já são investigadas pela CGU, TCE, TCU e até PF, pode anotar, aparecerão na imprensa estadual, dúvida mesmo é se William as publicará com desfeita como faz com Danúbia e sem sequer tentar ouvir a futura ex-patroa Belezinha.   


terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Eduardo Braga Cobra Explicação Sobre Não Pagamento do 13º de Servidores da Câmara Municipal


A denúncia do não pagamento do 13º dos servidores da Câmara Municipal de Chapadinha, que circulava nos bastidores da Casa Legislativa, veio a público por meio de uma postagem do vereador Eduardo Braga / PT em sua página do Facebook, na noite desta terça-feira.

“Funcionários da Câmara Municipal não receberam o 13º salário. Até hoje, 12 de janeiro, há vereadores discutindo se devem se pronunciar publicamente sobre o assunto e como seria esse posicionamento”, revelou Braga, taxando de absurdo trabalhadores terem seus direitos negados.

“A presidente da Câmara Municipal é minha amiga e não há nisso nada de disputa política até porque já elogiei seguidas vezes a condução política que ela vem dando à Casa, mas é necessário uma explicação a esses trabalhadores e à população de Chapadinha”, completou o parlamentar, lembrando que os vereadores em Chapadinha não recebem 13º e que o questionamento é sobre os direitos de servidores da Casa.

Márcia Confirma Não Pagamento

Ouvida pelo blog a presidente Márcia Gomes disse que apenas os assessores dos parlamentares deixaram de receber o 13º e alegou que a folha chegou ao percentual máximo permitido como motivo para o não pagamento. “Só não foi pago (o 13º) dos assessores, os (demais) servidores foram pagos”, explicou. “Os assessores não foram porque ultrapassaria os 70 por cento e o Tribunal de Contas me comunica que tem que fazer defesa porque minha folha ultrapassou os 70%”, finalizou a presidente, sem descartar ou confirmar se ainda pretende pagar o 13º dos assessores parlamentares. 

Eduardo Sá Denuncia Abusos Contra Consumidores e Defende Instalação do PROCON em Chapadinha

Eduardo Sá, Duarte Júnior e Ricardo Bruno 

O vereador Eduardo Sá / PRTB foi recebido, na tarde desta terça-feira, em audiência pelo presidente do PROCON-MA Duarte Júnior. Eduardo Sá levou ao conhecimento da direção estadual do PROCON problemas e abusos cometidos contra os consumidores de Chapadinha.

Eduardo Sá destacou a questão dos preços abusivos de combustíveis e gás de cozinha e relatou o descaso do Banco do Brasil com seus usuários.

Em resposta ao parlamentar o presidente Duarte Júnior disse já ter conhecimento de denúncias com relação ao provável abuso na venda de combustível e que – resguardado o sigilo necessário – o PROCON já está agindo para investigar e coibir.

Sobre a situação dos serviços bancários o comando do órgão estadual de defesa do consumidor garantiu que ainda neste primeiro trimestre haverá uma rigorosa fiscalização nas agencias bancárias de Chapadinha.

PROCON Chapadinha
Durante a audiência o presidente Duarte Júnior disse que todas as denúncias formuladas por Eduardo Sá poderiam ter encaminhamento muito mais ágil se Chapadinha dispusesse de uma Unidade do PROCON no município. Duarte Júnior declarou que precisaria de uma sala e da disponibilidade de dois servidores de parte da prefeitura municipal para instalar um posto do PROCON em Chapadinha. Duarte disse que desde o início de 2015 tenta firmar parceria com a prefeitura e pediu a intervenção da Câmara para buscar alternativas para a implantação do órgão. 


Duarte Júnior lembrou que 15 novas unidades do PROCON foram instaladas nos municípios maranhenses em 2015. O projeto, ainda de acordo com Duarte Júnior, segue a diretriz do governador Flávio Dino, com o intuito de levar os serviços de proteção e defesa do consumidor a todas as regiões do Estado. O PROCON está presente agora em Açailândia, Bacabal, Balsas, Barreirinhas, Caxias, Codó, Estreito, Imperatriz, Itapecuru-Mirim, Pedreiras, Pinheiro, Santa Inês, São José de Ribamar, São Luís, Santa Luzia, Timon, Cururupu, Viana, São João dos Patos e Presidente Dutra.

Ao término da reunião o vereador Eduardo Sá agradeceu a atenção, elogiou a atuação do presidente Duarte Júnior e reiterou lutar pela instalação do PROCON em Chapadinha. “Agradeço muitíssimo ter sido recebido pelo presidente Duarte Júnior que vem realizando um excelente trabalho na defesa do consumidor e com apoio da população não vamos medir esforços para tornar realidade a unidade do PROCON em Chapadinha”, finalizou o parlamentar.   

A Resposta de Flávio Dino para os que Estão com “Saudade” das Rebeliões e Carnificina em Pedrinhas




O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que se encontra de férias durante dez dias, reagiu forte, na tarde desta terça-feira (12), por meio do Twitter, às declarações do advogado Antônio Pedrosa (PSOL) de que “estaria havendo algum acordo do governo com facções criminosas de Pedrinhas” e condenou também as investidas do sistema que serve o grupo Sarney e que tenta faturar, politicamente, com as afirmações do “esquerdista”, consideradas absurdas pelo governo.
Segundo ele, quanto ao Complexo de Pedrinhas não há denúncia sobre acordo com facções. Apenas disparate produzido por gente derrotada nas últimas eleições do Maranhão. “O disparate seria ridículo se não fosse trágico: uma ação oportunista de pessoas que estão com saudade do tempo das degolas e das rebeliões”, disse o governador.
Em um dos tweets, Flávio Dino se refere a Pedrosa quando diz que: “essa gente, que se diz de ‘esquerda’, junta-se com algozes de ontem (grupo Sarney e sistema midiático) para reclamar que reduzimos, em mais de 70%, as tragédias em Pedrinhas.
Do Blog da Silvia Tereza

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Jefferson Portela e os Números do Bom Começo


Em 2015, o governo Flávio Dino e a pasta comandada pelo chapadinhense Jefferson Portela reduziram 8% crimes violentos letais intencionais. Assim como as ações de inteligência reduziram em 45% índices de mortes a esclarecer em 2015 comparado a 2014.
De acordo com os dados, foram 12% menos homicídios dolosos em 2015 comparado ao ano anterior. Assim, foram 109 vidas poupadas na grande São Luís.
No primeiro ano do governo Flávio e da gestão de Jefferson, foram apreendidas 1.113 armas. Índice 21% superior às apreensões feitas no ano passado.
No sistema carcerário, com o trabalho que envolveu vários órgãos públicos, nenhuma rebelião ocorreu em 2015 no complexo de Pedrinhas. A redução de mortes no sistema penitenciário do Maranhão foi 82% menor ano passado comparado a 2014. 

Jeffeson Portela assumiu aquela que é notadamente a secretaria mais problemática e luta contra a criminalidade e a violência que têm múltiplos efeitos, causas complexas e enorme potencial de atingir a população. Longe de denotar os índices que desejamos, os números indicam que há ainda muito a ser feito, mas significam um bom começo. 
Com Informações do Blog do Clodoaldo 

sábado, 9 de janeiro de 2016

Unidade Se Conquista Passo a Passo


Como efeito da demora nas definições ou falta de divulgação das articulações em busca da unidade entre os grupos adversários da prefeita Belezinha a ansiedade que já era sentida nos bastidores agora vem a público por meio de textos em blogs, comentários ou debates em grupos de redes sociais.

Apesar da aflição natural (que atinge mais violentamente quem só enxerga a política como meio de poder e locupletamento e não como campo de mediação de interesses públicos e de avanços sociais) é preciso ter calma para não converter a defesa de uma ala em ataque ou desrespeito às demais.

Vibrando como a ingenuidade ou com o excesso de malícia dos que atropelam o processo temos uma adversária comum dividida entre a máquina oficial que não permite seu menosprezo e sua negativa avaliação que não combina com qualquer temor superestimado.    

Antes de se martirizar por coesão constrangida ou mal gestada é preciso perceber que o tempo da política não pode ter a pressa dos afoitos ou a lentidão dos que eternamente esperam a ação dos outros, união entre distintos se conquista passo a passo, a soberba é a véspera do fracasso e – acima de deputados, ex-prefeitos, vereadores, lideranças ou blogueiros – é necessário entender unidade como tarefa coletiva.