segurança

segurança

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Usurpação ou Agonia da Torcida do Gol de Mão?



O debate com o blogueiro Jonnay Alves (Chapadinha Online) tem rendido temas interessantes. Além do atraso de salário da época de Isaías, a traição acusada pelo deputado Waldir Maranhão – que remete ao tema da ética e política, a análise sobre as enquetes e agora o drama da inelegibilidade do ex-prefeito e da alegada e sentida “usurpação” dos votos dos eleitores deste. 


Antes de abordar os temas é necessário explicar um mal entendido. Não falei pessoalmente do blogueiro quando me referi a passeata ou ida em comício, mas do conjunto dos seguidores de Isaías, que foram levados a erro, que francamente não sei se Jonnay se inclui e, neste ponto, ele tem toda razão em dizer que não o conheço. O avaliei defensor do ex-prefeito em face do que ele escreveu, mesmo porque não é crime ou tão vergonhoso assim ser partidário de Isaías. Já que “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”, cabe ao individuo assumir, negar ou manter suas preferencias políticas resguardadas no sigilo do voto. 


Vamos ao debate dividido por temas.


Atraso de Salários de 9 meses de Isaías

Neste ponto que eu e Jonnay estamos de acordo, ele disse já ter votado em Magno por conta dos pecados de Isaías contra os funcionários, sinal de que também não aprova o calote. Poderia ter falado sobre se acredita (ou não) ser o ex-prefeito capaz de tais maldades novamente, caso volte a mandar no município.


Política: Trair e Coçar, é Só Começar... 
Sobre a ética na política, do código de Hamurabi, passando por Maquiavel e Norberto Bobbio há ampla consideração sobre as diferenças entre princípios e resultados ou moral individual e conduta ética coletiva. Generalizar a falta de escrúpulos na política é recurso rudimentar do sendo comum (quase um analfabetismo político no conceito Bertold  Brecht) que não melhora em nada a vida pública. 


No caso especifico dos argumentos do Chapadinha Online, o que era uma clara aprovação ao gesto de Isamara, mudou no segundo texto. No primeiro: “Isamara errou em apoiar outro candidato durante a última campanha, após ter firmado compromisso com tal deputado traído? Claro que não!” disse Jonnay. No escrito mais recente: “não vejo nada de extraordinário em políticos firmaram compromissos com deputado e depois apoiarem outro” (...). Veja o jogo de palavras: errou? claro que não! e (depois) não vejo nada de extraordinário... Sai Isamara e entra os políticos em geral. Pode ser que o escriba não seja partidário de Isaías, mas os textos dizem outra coisa. 


As Enquetes do Fim do Mundo

Sobre as enquetes que disponibilizo e ao final registro o resultado e só depois retiro da página, cada um é livre pra analisar e até para usar do meu comentário a parte que quiser. Contra a estática dos números favoráveis a Belezinha e incômodos para Isamara e Danúbia, existe o movimento partidário até as eleições, o jogo real da política e a dinâmica dos sinais claros ou difusos que inclui a reação político-administrativa para opção “não voto”. O ingênuo que viver verá!


A Usurpação e o gol de Maradona 

Compartilho também com Jonnay o entendimento sobre a morosidade da justiça brasileira. Embora haja lampejos de mudanças de modo a retirar candidatos impedidos de disputar eleições do rol de candidatos em tempo hábil para a exclusão de seu nome da urna eletrônica é bem provável que ainda ocorra isso no próximo pleito. 


Mas o choro dos seguidores de Isaías sobre os episódios de 2008 pode ser resumido em parábola futebolística. Imaginem que a lei eleitoral seja a regra do jogo de futebol, faça de conta que Isaías (candidato inscrito, mas com trânsito em julgado de condenação de contas insanáveis) é o Maradona fazendo um lindo gol de mão contra Inglaterra.  Mesmo vendo que o gol foi de mão a torcida apaixonadamente vibra... E se decepciona depois da anulação. Foi um gol de placa, só não deu certo por tinha um raio de um juiz aplicando a regra e o time adversário que foi campeão dentro do regulamento. 


Novo certame se aproxima. Até agora o atual dono da taça tem sérios problemas internos e de outro lado, desponta uma estrela que não sabe se seu cartola a deixará jogar. Certo mesmo é que o craque do gol de mão tá suspenso por muito tempo ou definitivamente fora do futebol. Sua torcida precisa entender isso pra evitar futuros sofrimentos.

Magno Bacelar em Alta no Governo Roseana

Bacelar, entre Sarney e demais homenageados pela PM
 


O vice-líder do governo na Assembléia Legislativa, deputado Magno Bacelar (PV), alcançou status de interlocutor privilegiado no governo Roseana Sarney (PMDB). Sua postura na Assembléia rendeu dividendos e prestígio político na cúpula governista.

Bacelar é hoje homem de confiança nas questões que envolvem o governo na Assembléia.
Ao lado do deputado Roberto Costa (PMDB), é tido como um dos mais aguerridos defensores da administração de Roseana Sarney, independente do estilo usado na tribuna.

Magno Bacelar não deixa questões sem respostas e não se intimida com as provocações da oposição, muitas vezes até se expondo, desnecessariamente, em nome do governo.

Esta postura de fidelidade tem sido reconhecida não só pelos altos escalões do governo, mas pela própria família da governadora, que o tem como aliado importante no Legislativo.

A própria oposição reconhece a coragem do parlamentar, embora tente desqualificá-lo, vez por outra, como forma de inibir sua participação no debate na Assembleia.

E, ao seu jeito, o deputado vai ocupando seu espaço na Casa…

O parlamentar, ao lado de D. Marly Sarney

Luís Carlos Jr Lança Blog CN1 com Melhor da Crônica Policial


A imprensa de Chapadinha acaba de ganhar um veículo importantíssimo para completar o noticiário do cotidiano da cidade. Com uma experiência de mais trinta anos (isso mesmo!, ele começou ainda garoto) Luís Carlos Júnior  - que traz a bagagem de quem começou pela Rádio Ribamar e hoje compõe a TV e Rádio Mirante de Chapadinha – inaugura seu blog o CN1 Notícias de Chapadinha. 

Com conteúdo diverso, mas com especialidade para cobertura policial, Luís Carlos traz o faro e as fontes dos melhores cronistas desta área tão delicada. Vale a pena incluir o CN1 entre os seus favoritos. 

Para conhecer o CN1 clique aqui.

TSE Marca Eleições 2012 para 7 de Outubro


Da Folha.com:

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) aprovou nesta terça-feira (28) o calendário eleitoral para as eleições municipais de 2012. O plenário do tribunal definiu que o primeiro turno será realizado em 7 de outubro. Nos municípios onde a disputa chegar ao segundo turno, o novo pleito acontecerá no dia 28 do mesmo mês. No ano que vem, candidatos disputam os cargos de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.

Os partidos que ainda estão em formação só poderão participar das eleições de 2012 se cumprirem todos os requisitos e obtiverem o registro no TSE um ano antes do pleito, ou seja, 7 de outubro de 2011. Os requisitos incluem, por exemplo, a coleta de quase 500 mil assinaturas – reconhecidas em cartório – em pelo menos nove Estados brasileiros, e a publicação do estatuto da legenda no “Diário Oficial” da União.

Individualmente, todos os candidatos que desejam concorrer precisam regularizar sua filiação partidária até a mesma data, além de transferirem seu domicílio eleitoral para a circunscrição onde pretendem disputar o cargo.
A partir de 1º de janeiro de 2012, todos os órgãos de administração pública ficam proibidos de distribuir bens, valores ou benefícios de forma gratuita, e os institutos de pesquisa ficam obrigados a registrar seus levantamentos.

Candidaturas
As convenções partidárias para definir candidatos serão realizadas entre 10 e 30 de junho de 2012. O registro dos candidatos lançados pelas legendas deverá ser feito até 5 de julho. O Ministério Público e outras entidades, como os próprios partidos, têm o prazo de 18 de julho para impugnar o registro dos candidatos ao pleito.

A primeira prestação de contas parcial deve ser entregue à Justiça Eleitoral até 6 de agosto. Um mês depois, em 6 de setembro, termina o prazo para a segunda prestação de contas. A terceira e última prestação deve ser entregue até 6 de novembro. Os candidatos que participarem do segundo turno devem entregar um quarto do relatório até 27 de novembro. Os relatórios devem detalhar todos os recursos recebidos para financiar a campanha.

Propaganda
Os horários reservados no rádio e na TV para a propaganda eleitoral gratuita começam numa terça-feira, 21 de agosto de 2012. A propaganda será veiculada diariamente até 4 de outubro, três dias antes do pleito.

A partir dessa data também fica proibida a realização de debates no rádio e na TV e de reuniões públicas ou comícios. Em 5 de outubro, termina a divulgação de propaganda em jornais impressos e, dia 6, as propagandas presenciais, a distribuição de material gráfico e a promoção de carreatas.

Nos municípios onde houver necessidade de um segundo turno entre os dois candidatos ou candidatas mais votados para a prefeitura, a propaganda fica permitida entre 8 e 26 de outubro.

Eleitores
Os eleitores que necessitarem alterar seu domicílio eleitoral ou requerer inscrição no sistema eleitoral têm até 9 de maio de 2012 para fazê-lo. Quem tem necessidades especiais também deve pedir transferência para uma seção eleitoral especial até esse dia.

O eleitor que não comparecer às urnas no primeiro turno deverá justificar a ausência à Justiça até 6 de dezembro. Já quem deixou de votar durante o segundo turno precisa apresentar a justificativa até 27 de setembro.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

A Política e a Força da Grana


Por: Almir Moreira – Advogado

Outro dia postei em minha página no facebook opinião a respeito da nossa responsabilidade – do povo – sobre os acontecimentos na política. Toquei na ferida, disse que somos os primeiros responsáveis e que essa situação de coitadinho ou de vitima não cabe bem, afinal nossos representantes são eleitos com nossos votos. Imediatamente, a bela Adriana Cunha, profissional de respeito, retrucou. Disse que a coisa não era tão simples assim, tudo bem, concordo, mas que isso se arrasta por muito tempo e é fato, isso é. 

O que falo em linhas gerais é sobre o desinteresse dos cidadãos por tema tão importante. 

Sempre me preocupou o alheamento das pessoas pela política, e nestes dias de hoje a coisa recrudesceu. Xingar e esculhambar virou moda é usual. E, pior, ela é tratada quase da mesma forma como em idos tempos, como se fosse algo apartado da sociedade ou da realidade, digna das monarquias absolutistas vistas como divinas, como algo superior à sociedade. A queda da bastilha inaugurou os tempos modernos estabelecendo a República, o poder antes divino passou a ser do povo, mas este ainda hoje age como se o seu governante ou representante não saísse do seu meio. É normal se falar assim: esses políticos, isso é coisa de político, esses políticos não tem jeito... É mais ou menos como se alguém na maternidade já nascesse com o carimbo de político. Parece que a consciência de que o governante era uma determinação divina foi apenas trocada para outro tipo de pensamento, o de que só pode ser candidato quem tem posses.

Pois, eis que agora, o jornalista e político Alexandre Pinheiro através de uma enquete em seu blog a respeito da preferência eleitoral para o próximo pleito, confirma o alheamento do povo pela política. O resultado não foi outro, a preferência foi apoiada no candidato que tem a conta bancária mais cheia. O critério sequinho foi esse: grana. Independente da envergadura moral e intelectual (competência) para a direção de um cargo político. E, olha que os votantes, supõem-se, são os de melhores condições financeiras na sociedade. São pessoas que sabem ler, tem instrução e informação. Por isso a meu ver é grave o resultado, é como se dissesse assim, só pode participar das eleições e com chances de ganhar quem tem dinheiro. O requisito é este e, pronto! 

Pois, se o requisito é este, a lógica do resultado pode ser, quem investe dinheiro, quer dinheiro de volta e, sem dúvidas, com lucro. Lixem-se plataformas gerais e prioridades que visem atender de forma ampla a sociedade como, por exemplo, educação, saneamento e política de rendas efetivas. Educação integral? Prá quê, só para gastar mais verbas com professores e funcionários? Não, nada disso, é melhor a construção, a do tipo que faz dinheiro sumir como, estradas vicinais, poços artesianos, pontes de madeira, meio fio e coisas do gênero, não que não sejam também importantes, mas estas muitas vezes não são prioridades e engolem tubos e mais tubos de dinheiro. Esta é a lógica da política vencedora na enquete avalizada, divulgada e testada pelos votantes. 

Sem nenhum demérito aos nomes postos na enquete, acho até que podem ser bons governantes, mas no fundo o participante da pesquisa mostrou preferência pelo candidato que tem dinheiro, e para ganhar reconhece que a “força da grana que ergue e destrói coisas belas” na voz de Caetano é o que manda mais.