segurança

segurança

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Flavio Dino Reafirma Apoio a Dilma e Critica Sarney


Em carta encaminhada nesta quarta-feira (27) a lideranças dos movimentos sociais e partidos de esquerda, o deputado federal Flávio Dino (PCdoB) defendeu mais uma vez a candidatura presidencial de Dilma Roussef e fez duras críticas ao grupo Sarney.


“Manifesto-me por este comunicado para reiterar o apoio à candidatura presidencial de Dilma Roussef, como já fiz em dezenas de entrevistas, por nota pública de nosso partido, e durante toda a campanha” diz Flávio Dino na carta.


O comunista, que participa em Brasília de atividades do Diretório Nacional do PCdoB, do qual é membro, aproveitou para denunciar mais uma vez os abusos cometidos que determinaram a eleição da governadora Roseana Sarney (PMDB) ainda no primeiro turno.


“Não fomos ao segundo turno, lembremos sempre, por causa do abuso do poder político e econômico, bem como por um processo de fraudes que precisa ser devidamente apurado para que a verdade eleitoral seja conhecida. Os 0,08% (oito centésimos) que impediram o segundo turno foram produto dessas ilegalidades, fartamente documentadas”, afirmou.


Ao defender a candidatura de Dilma, ele estabeleceu as diferenças com o que classificou de “oportunistas e adesistas de última hora”, em referência ao grupo Sarney. Lembrou também que o seu partido, o PCdoB, “integra a coligação que desde 1989 aponta uma alternativa nova para o Brasil”.


O deputado disse também que continua sendo tarefa dos partidos de esquerda e dos movimentos sociais fazer no Maranhão o que está sendo feito no Brasil. “Vamos eleger Dilma para a Nação continuar mudando, e ampliar a luta para derrotar o grupo Sarney. Só assim o Maranhão poderá superar os péssimos indicadores sociais e encontrar o seu caminho de desenvolvimento, com práticas políticas transparentes e honestas.”


Flávio Dino acusou a oligarquia Sarney de disseminar mentiras para atingi-lo e reagiu: “De nada adianta. Não nos intimidam, nem nos levarão pelos caminhos da rendição. Com a mesma determinação e coragem com que conquistamos um grande resultado eleitoral, estaremos sempre lutando por um Maranhão de todos nós”. (Com informações do Vermelho)

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Porque o Chapadinhense Deve Votar em Dilma


Poderia citar vários feitos do governo Lula como demonstração de sua preocupação diferenciada dos governos tucanos com relação ao Nordeste, aos mais pobres e especificamente Chapadinha. Luz Para Todos, PRONAF, Bolsa Família são programas do governo federal com forte inserção no município, mas igualmente existem em outras cidades.

Além disso, no quesito obras e infra-estrutura temos a estrada Entrocamento-Chapadinha como uma das melhores do Estado, mantida e conservada por meio de um modelo que estabelece contrato que obriga a construtora a promover reparos constantes.

Mas, o projeto de maior importância para Chapadinha é o Campus IV da Universidade Federal do Maranhão, tirado do papel pelo presidente Lula e cuja qualidade dos professores – na quase totalidade mestres e doutores – mereceu destaque na imprensa nacional como um dos melhores corpos docentes do Brasil.

Agora com o novo prédio praticamente pronto (foto), temos claramente o indicativo de que a continuidade desse modelo de governar com eleição de Dilma fará de Chapadinha um centro universitário importante que pode modificar até a vocação econômica da região e impulsionar o desenvolvimento desejado.

Como é difícil imaginar os tecnocratas tucano-paulistanos pensando em saídas e políticas públicas para cidades como a nossa e diante dos avanços do governo Lula-Dilma, o chapadinhense que votar em Serra vota contra seus próprios interesses e, com relação a seus irmãos menos assistidos, é “mais covarde que cobra que morde cego”.

Presidente do STJ Cala Sobre Demissão de Estagiário

Procurado pelo Blog do Jornalista Ricardo Noblat nesta segunda-feira (25), o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Ari Pargendler, disse, por meio da assessoria, que não vai se pronunciar sobre o episódio da demissão do estagiário, Marco Paulo dos Santos.

Desde a última quinta-feira (24), o blog tenta falar com o ministro. Na semana passada, não foi possível ouvi-lo nem por telefone. Pargendler estava no Rio Grande do Sul.

De volta à Brasília nesta segunda-feira, o ministro preferiu ficar em silêncio.

Conforme revelou o blog, Marco foi “humilhado” e em seguida demitido pelo fato de estar imediatamente atrás do presidente do Tribunal no momento em que o ministro usava um caixa eletrônico, localizado no interior da Corte.

Incomodado com a proximidade de Marco, Pargendler disparou: “Você quer sair daqui por que estou fazendo uma transação pessoal.?"

Marco: “Mas estou atrás da linha de espera”.

O ministro: “Sai daqui. Vai fazer o que você tem quer fazer em outro lugar”.

Marco tentou explicar ao ministro que o único caixa para depósito disponível era aquele e que por isso aguardaria no local.

Diante da resposta, Pargendler perdeu a calma e disse: “Sou Ari Pargendler, presidente do STJ, e você está demitido, está fora daqui”.

Após o episódio, Marco deu queixa na 5a delegacia da Polícia Civil do Distrito Federal. O boletim de ocorrência (BO) que tem como motivo “injúria real”, recebeu o número 5019/10. Ele é assinado pelo delegado Laércio Rossetto.

Por não ter “competência legal” para investigar o caso, o delegado enviou o BO ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo assessoria do Supremo, existem dois caminhos:

1) É designado um ministro relator que pode determinar abertura imediata de inquérito para que sejam ouvidos os envolvidos.

2) O ministro relator encaminha o caso diretamente à Procuradoria Geral da República para que seja dado um parecer.

Ainda de acordo com a assessoria do STF, caso seja configurado crime contra a honra de Marco, o ministro Ari Pargendler receberá uma notificação. E terá a opção de se retratar ou não. Caso opte por não pedir desculpa, segundo o STF, nada acontece ao ministro, e o caso fica por isso mesmo.

Panorama do Segundo Turno nos Estados


No próximo domingo (31), serão eleitos ou reeleitos governadores em nove estados: Alagoas (AL), Amapá (AP), Distrito Federal (DF), Goiás (GO), Pará (PA), Paraíba (PB), Piauí (PI), Rondônia (RO) e Roraima (RR). Nesses colégios eleitorais, tendo como base as últimas pesquisas disponíveis, o cenário é o seguinte:

AL: Segundo o Ibope (17 a 19.10), o governador e candidato a reeleição, Teotônio Vilela Filho (PSDB) tem 48% contra 40% de Ronaldo Lessa (PDT). No primeiro turno, Vilela obteve 39,6% dos votos válidos e Lessa ficou com 29,2%. O tucano apóia José Serra (PSDB) e o pedetista está com Dilma Rousseff (PT). Teotônio Vilela tem um leve favoritismo.

AP: De acordo com o Ibope (15 a 17.10), Camilo Capiberibe (PSB) tem 53% e Lucas Barreto (PTB) aparece com 46%. No primeiro turno, Lucas teve 28,9% dos votos válidos e Capiberibe ficou com 28,7%. Os dois candidatos apóiam Dilma. O postulante do PSB é o favorito. Esta eleição é a única no segundo turno que pode ocorrer uma virada.

DF: Segundo o Datafolha (20 a 21.10), Agnelo Queiroz (PT) tem 53% e Weslian Roriz (PSC) aparece com 31%. No primeiro turno, Agnelo ficou com 48,4% dos votos válidos e Roriz obteve 31,5%. Os candidatos apoiam, respectivamente, Dilma e Serra. Agnelo Queiroz é o favorito e deve vencer sua adversária com facilidade.

GO: De acordo com o Datafolha (20 a 21.10), Marconi Perillo (PSDB) tem 48% e Iris Rezende (PMDB) aparece com 44%. No primeiro turno, Marconi obteve 46,3% dos votos válidos e Iris ficou com 36,4%. O tucano apóia José Serra e o peemedebista está com Dilma Rousseff. Disputa indefinida, com ligeiro favoritismo para Perillo.

PA: Segundo o Ibope (13 a 15.10), Simão Jatene (PSDB) tem 53% contra 36% da governadora e candidata à reeleição, Ana Júlia Carepa (PT). No primeiro turno, Jatene obteve 48,9% dos votos válidos e Ana Julia ficou com 36,1%. O tucano apóia Serra e a petista está com Dilma. Simão Jatene é o favorito.

PB: De acordo com o Ibope (12 a 14.10), Ricardo Coutinho (PSB) tem 57% contra 43% do governador e candidato a reeleição, José Maranhão (PMDB). No primeiro turno, Coutinho obteve 49,7% dos votos válidos e Maranhão ficou com 49,3%. Os dois candidatos apoiam Dilma. O representante do PSB é o favorito.

PI: Segundo o Data AZ (14 a 17.10), o governador e candidato a reeleição, Wilson Martins (PSB), tem 55% contra 45% de Silvio Mendes (PSDB). No primeiro turno, Martins teve 46,7% dos votos válidos e Mendes ficou com 30,1%. O socialista apóia Dilma e o tucano está com Serra. Wilson Martins é o favorito.

RO: De acordo com o Ibope (15 a 17.10), Confúcio Moura (PMDB) tem 58% contra 42% do governador e candidato a reeleição, João Cahulla (PPS). No primeiro turno, Confúcio obteve 44% dos votos válidos contra 37,1% de Cahulla. Os dois candidatos apóiam Dilma Rousseff. Confúcio Moura é o favorito.

RR: Segundo o Ibope (15 a 17.10), Neudo Campos (PP) tem 55% contra 45% do atual governador e candidato a reeleição, Anchieta Júnior (PSDB). No primeiro turno, Neudo obteve 47,6% dos votos válidos e Anchieta ficou com 45%. Os candidatos apóiam, respectivamente, Dilma e Serra. Neudo Campos é o favorito.
Por: Arko Advice

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Adeus Família 11 – Waldir Maranhão Toma PP de Isaías e Isamara



Como retaliação ao que considerou “trairagem” da candidata Isamara Menezes, que iniciou a campanha fazendo dobradinha com ele e depois passou a apoiar – sem maiores explicações – o candidato a federal Paulo Marinho Júnior (PMDB), o deputado reeleito Waldir Maranhão (foto ao lado de pai e filha), que também é presidente estadual do Partido Progressista, retirou a agremiação do controle da família do ex-prefeito Isaías Fortes.

Segundo uma fonte do partido, a legenda será comandada em Chapadinha pelo empresário Gilmar da Masul que apoiou Waldir em dobradinha com o ex-secretário Raimundo Cutrim.

Com a mudança a ex-candidata Isamara, que também pretende disputar a prefeitura em 2012, terá que mudar de partido para assegurar legenda. Com isso, além perder a marca “Família 11”, a pré-candidata ainda fica ameaçada pelo entendimento da fidelidade partidária que prevê o mínimo de três anos de filiação em novo partido, para disputar eleição – o que, no caso, só aconteceria depois de 2012.

O Medo Não Venceu



Por: Almir Moreira - Advogado

Certa vez, Jean Paul Sartre disse que “era mais fácil ser escravo do que senhor”, e talvez, de fato, seja mais fácil pensar como escravo, do que como senhor. Esta máxima ainda nos persegue, é flagrante a ocorrência de uma “revolução intelectual” na America Latina, mas infelizmente ainda se segue pensando como escravo, servo ou gente dominada. Foi o que se deduziu do resultado do último Júri Popular ocorrido na Chapada no qual atuamos – não como servo, ao contrário como desmistificador dessa realidade. Em que pese a aparente boa formação – educacional - do Conselho de Sentença era notório o temor reverencial com relação ao juiz Presidente e ao Promotor de Justiça. O DNA cultural fala mais alto, o traço perverso do autoritarismo brasileiro ecoa no tempo, o pensamento do servo feudal originário da Colônia Portuguesa e o pensamento do escravo africano subjugado ainda hoje se sobressaem. Foi isto que se viu neste triste Júri, o Estado de um lado como se pudesse tudo e do outro lado servos alienados contribuindo com velhos pensamentos.

A existência de “paradigmas” e de “revoluções intelectuais” no campo do pensamento social, onde se formam e se transformam os valores, conceitos e critérios de verdade, que as sociedades humanas utilizam para interpretar o seu passado e o seu presente, e para descodificar e responder às incertezas do seu futuro ocorre ao longo da história. Com o passar do tempo e das mudanças sociais, entretanto, estes paradigmas “societários” perdem fôlego, se esclerosam, e acabam sendo superados por novas “visões do mundo”, mais capazes de compreender e enfrentar os desafios criados pela chegada do futuro. Vivemos um novo tempo, o da democracia como valor universal os pressupostos são os da República: o Estado contemporâneo existe para servir ao cidadão, não o cidadão para servir ao Estado – o cidadão não é para temer empregado público é para dele exigir o cumprimento de seus deveres. As leis de Newton e as que lhe sucederam serviram para compreender o universo, mas contribuíram para a existência desse diálogo de professor e aluno, e aluno primário, entre o Estado e seus cidadãos, contudo a epistemologia e a história da ciência colocaram uma pá de cal sobre essa visão positivista do conhecimento, e estabeleceram questionamento definitivo sobre todas as teorias mecanicistas e deterministas, a respeito do mundo físico, do cosmos e das sociedades humanas. O Conselho de Sentença se rendeu ao medo, nós os advogados de defesa - Elcio Aguiar e Tomé Gomes - ajudamos a irrigar a semente de liberdade há muito semeada nesta Terra.

domingo, 24 de outubro de 2010

Pagamento de Contas em Troca de Votos em São Luis

Homem identificado como Bruno pagou, numa lotérica do centro de São Luís, contas de luz, água e telefone, no valor de mais de R$ 28 mil, pouco antes das eleições

Por: Oswaldo Viviani – Jornal Pequeno


O delegado federal Rodrigo Correia – que investiga o caso das contas de luz, água e telefone pagas em troca de votos nas últimas eleições – recebeu na quinta-feira (21) as imagens da câmera instalada no escritório da lotérica do centro de São Luís em que os pagamentos foram feitos. Nas imagens, aparece com nitidez uma pessoa identificada como Bruno, que pagou, em dois dias – 16 e 28 de setembro –, mais de R$ 28 mil em contas pertencentes a moradores do Centro e de bairros próximos da capital maranhense, como Lira, Belira, Coreia de Baixo, Coreia de Cima e Codozinho. O Jornal Pequeno apurou que o caso envolve um deputado estadual reeleito da coligação “O Maranhão não pode parar”, encabeçada pela governadora eleita Roseana Sarney Murad (PMDB).
A PF também investiga a possibilidade de terem sido realizados pagamentos de grandes volumes de contas, em troca de votos, em outras lotéricas de São Luís. Embora a investigação não corra em segredo, o delegado Rodrigo Correia afirmou ao JP que só vai dar informações oficiais sobre o caso quando as apurações estiverem concluídas.

As imagens – aproximadamente duas horas de gravação – foram entregues à Polícia Federal pelo dono da lotérica em que as contas foram pagas, que também prestou depoimento na quinta.
Em entrevista ao JP na sexta-feira (22), o proprietário da lotérica – que não será identificado para não atrapalhar as investigações – esclareceu alguns detalhes do caso. Ele revelou que dias depois de fazer o primeiro pagamento de contas (perto de 100, no valor de mais de R$ 8 mil), Bruno esteve na lotérica e o chamou para uma conversa, que aconteceu provavelmente no dia 26 de setembro, diante no estabelecimento, no interior de uma caminhonete de cor prata.

No diálogo, que foi presenciado por um outro rapaz, sentado no banco ao lado do motorista, Bruno teria dito que em alguns dias iria ter em mãos outro grande volume de contas de luz, água, e telefone, e queria saber da possibilidade de pagar todas na lotérica em questão.

O dono da lotérica disse que não havia problema, e Bruno ficou de voltar nos dias seguintes, fato que efetivamente ocorreu em 28 de setembro. Nesta data, foram pagas na lotérica em torno de 300 contas, que perfizeram o valor de R$ 20 mil.

No dia 30 de setembro, Bruno regressou à lotérica com outra pilha de contas. No escritório, o rapaz se pôs a separar só as contas dos bairros próximos ao centro de São Luís, enquanto um funcionário do estabelecimento as somava.

Quando o cálculo já chegava a mais de R$ 11 mil, uma repórter da Folha de S. Paulo (Elvira Lobato) entrou inesperadamente no escritório e se identificou.

Desconfiado, Bruno saiu, dizendo que ia beber água. Ao voltar, aparentando nervosismo, recolheu as contas – que somadas dariam “uns R$ 30 mil”, segundo o funcionário da lotérica que as calculava. Afirmou que iria buscar mais dinheiro e que voltaria depois, mas não retornou.

No espaço de tempo em que Bruno esteve ausente, as contas foram fotografadas pela repórter da Folha, que, antes de retornar a São Paulo, fez as imagens chegarem até a procuradora eleitoral Carolina da Hora Mesquita Höhn, autora do pedido à PF para abertura de inquérito.
Esquema criminoso se estendeu a mais de 30 bairros

Acredita-se que o esquema criminoso do pagamento de contas em troca de votos nas últimas eleições tenha se estendido a mais de 30 bairros de São Luís. A maioria deles é próxima ao centro da capital maranhense, mas há uns poucos casos de bairros mais distantes, como Rio dos Cachorros, onde uma entidade assistencial teve sua conta paga pelo esquema suspeito. Trata-se da Associação Assistencial ao Menor Carente Livramento, que tem sede no Rio dos Cachorros (Rua Principal, 113).

A entidade é presidida por Arnaliz Pires Fonseca, que também coordena o grupo folclórico Dança do Boiadeiro Encanto do Rio dos Cachorros. Arnaliz informou ao JP não ter repassado “nenhuma conta para ninguém pagar”.

De acordo com Arnaliz, a pessoa responsável, este ano, pelo pagamento das contas da entidade (de cerca de R$ 200 mensais) é sua sobrinha Lucilene Pires de Moraes, que promoveu alguns cursos na associação, de fevereiro a agosto.

Lucilene, segundo Arnaliz, é ligada a Roseana Sarney e Ricardo Murad e fez campanha para eles nas recentes eleições. Ambos foram eleitos. Roseana escapou de disputar o segundo turno com Flávio Dino (PC do B) por uma diferença de apenas 4.877 votos.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Sou Ari Pargendler, Presidente do STJ. Você Está Demitido

A frase acima revela parte da humilhação vivida por um estagiário do Superior Tribunal de Justiça (STJ) após um momento de fúria do presidente da Corte, Ari Pargendler (na foto).

O episódio foi registrado na 5a delegacia da Polícia Civil do Distrito Federal às 21h05 de ontem, quinta-feira (20). O boletim de ocorrência (BO) que tem como motivo “injúria real”, recebeu o número 5019/10. Ele é assinado pelo delegado Laércio Rossetto.

O blog procurou o presidente do STJ, mas foi informado pela assessoria do Tribunal que ele estava no Rio Grande do Sul e que não seria possível entrevistá-lo por telefone.

O autor do BO e alvo da demissão: Marco Paulo dos Santos, 24 anos, até então estagiário do curso de administração na Coordenadoria de Pagamento do STJ.

O motivo da demissão?

Marco estava imediatamente atrás do presidente do Tribunal no momento em que o ministro usava um caixa rápido, localizado no interior da Corte.

A explosão do presidente do STJ ocorreu na tarde da última terça-feira (19) quando fazia uma transação em uma das máquinas do Banco do Brasil.

No mesmo momento, Marcos se encaminhou a outro caixa - próximo de Pargendler - para depositar um cheque de uma colega de trabalho.

Ao ver uma mensagem de erro na tela da máquina, o estagiário foi informado por um funcionário da agência, que o único caixa disponível para depósito era exatamente o que o ministro estava usando.

Segundo Marco, ele deslocou-se até a linha marcada no chão, atrás do ministro, local indicado para o próximo cliente.

Incomodado com a proximidade de Marcos, Pargendler teria disparado: “Você quer sair daqui porque estou fazendo uma transação pessoal."
Marco: “Mas estou atrás da linha de espera”.

O ministro: “Sai daqui. Vai fazer o que você tem quer fazer em outro lugar”.

Marco tentou explicar ao ministro que o único caixa para depósito disponível era aquele e que por isso aguardaria no local.

Diante da resposta, Pargendler perdeu a calma e disse: “Sou Ari Pargendler, presidente do STJ, e você está demitido, está fora daqui”.

Até o anúncio do ministro, Marco diz que não sabia quem ele era.

Fabiane Cadete, estudante do nono semestre de Direito do Instituto de Educação Superior de Brasília, uma das testemunhas citadas no boletim de ocorrência, confirmou ao blog o que Marco disse ter ouvido do ministro.

“Ele [Ari Pargendler] ficou olhando para o lado e para o outro e começou a gritar com o rapaz. Avançou sobre ele e puxou várias vezes o crachá que ele carregava no pescoço. E disse: "Você já era! Você já era! Você já era!”, conta Fabiane.

“Fiquei horrorizada. Foi uma violência gratuita”, acrescentou.

Segundo Fabiane, no momento em que o ministro partiu para cima de Marco disposto a arrancar seu crachá, ele não reagiu. “O menino ficou parado, não teve reação nenhuma”.

De acordo com colegas de trabalho de Marco, apenas uma hora depois do episódio, a carta de dispensa estava em cima da mesa do chefe do setor onde ele trabalhava.

Demitido, Marco ainda foi informado por funcionários da Seção de Movimentação de Pessoas do Tribunal, responsável pela contratação de estagiários, para ficar tranqüilo porque “nada constaria a respeito do ocorrido nos registros funcionais”.

O delegado Laercio Rossetto disse ao blog que o caso será encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF) porque a Polícia Civil não tem “competência legal” para investigar ocorrências que envolvam ministros sujeitos a foro privilegiado."

Pargendler é presidente do STJ desde o último dia três de agosto. Tem 63 anos, é gaúcho de Passo Fundo e integra o tribunal desde 1995. Foi também ministro do Tribunal Superior Eleitoral.

Blog do Noblat

Tucanos x Petistas e o Rolo de Fita Crepe

Não foi só uma bolinha de papel que acertou Serra no Rio de Janeiro. Outras imagens sugerem que um rolo de fita crepe também teria alvejado o candidato. Seja o que for, não descarta a tentativa de faturar eleitoralmente falseando o estado de saúde, afinal é preciso ter (no sentido figurado) a cabeça mais fraca que o crânio (literal) da suposta vítima para acreditar na versão da náusea e tontura.

A apelação teatral tucana retirou-lhes autoridade moral para censurar o fato mais grave do episódio: a intimidação e o cerceamento da campanha de Serra por quadros petistas.
Pior que ninguém pede calma às militâncias, e todos têm agido mal, por isso – inclusive o presidente Lula e a candidata Dilma, que teve dois balões cheios d’água lançados (ontem) do alto de um prédio contra ela, quando desfilava em carreata no Paraná.

Como não há fita adesiva apta a (re)unificar um País, nem água de bexiga capaz de apagar fogo de intolerância. É hora de alguém mandar a galera quietar o facho.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Bolinha de Papel Quase Mata José Serra


Reportagem exibida nos telejornais do SBT (Veja aqui) mostra claramente apenas uma bolinha de papel atingindo a cabeça do candidato do PSDB a presidente, José Serra, nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro. Em meio a um tumulto, ele mal percebe que foi atingido, mas muito tempo depois, após receber um telefonema no celular, Serra levou a mão à cabeça e simulou ter sido atingido por um "instrumento pesado", conforme nota do seu partido. Ele foi a um hospital e se submeteu até a tomografia computadorizada. Um médico, Jacob Kligerman, foi usado na farsa, afirmando depois que recomendara 24 horas de repouso a Serra, que, atingido, sentira "tonteira e náusea".

Imagino se as bolinhas de papel da minha época de criança tivessem o mesmo peso de hoje eu não teria conseguido sair vivo nem do Jardim Branca de Neve.

Cargo Zero


O Palácio dos Leões promove neste momento um almoço com prefeitos de todo o Maranhão e candidatos a deputado do grupo que não lograram êxito nas eleições. Aos prefeitos o cardápio de sempre: promessas de recursos e convênios. A grande dúvida é o que será oferecido aos não-eleitos, já que tudo indica que Roseana pretende diminuir o tamanho da máquina, deixando poucos lugares a serem preenchidos pela turma que a “porca comeu”.

Tendência é Inversa à do 1º Turno

Do blog de José Roberto de Toledo

O Ibope indica que dobrou a diferença de Dilma Rousseff (PT) sobre José Serra (PSDB) na última semana. Houve recuperação da petista e queda do tucano.

Dilma tem hoje praticamente a mesma vantagem que tinha nesta época no primeiro turno: 56% contra os 55% de 23 de setembro. Nos 10 dias entre a pesquisa e a votação de 3 de outubro, ele caiu, Marina Silva (PV) subiu, e a eleição precisou de um novo turno.

Desta vez há uma diferença importante. No primeiro turno, Dilma vinha em queda nesta fase da campanha. Agora, seu movimento é ascendente. Mais do que o tamanho da vantagem, é o movimento do eleitorado que favorece a petista.

Há indicativos de que a questão religiosa voltou a influenciar o eleitor, mas no sentido oposto. Na rodada anterior do Ibope, Dilma tinha estabilizado entre católicos e evangélicos. Nesta, ela cresceu entre os cristãos e caiu entre agnósticos, ateus e seguidores de outras religiões.

Pelos números, as ações da petista para recuperar o apoio de lideranças evangélicas e católicas surtiram efeito. Isso incluiu a divulgação de uma carta rejeitando mudar a legislação sobre o aborto - o que pode ter lhe tirado votos entre quem é a favor da liberação da prática, algo mais comum entre agnósticos e ateus.

Ao mesmo tempo, Serra caiu nos segmentos religiosos. Pode ser apenas fruto da recuperação dos eleitores por Dilma. O tucano, porém, perdeu mais votos cristãos do que a petista ganhou.

Isso indica que sua queda no segmento pode ter sido consequência da divulgação de notícias de que sua mulher teria feito aborto nos EUA, quando estavam exilados. As buscas no Google pelo binômio “Serra + aborto” suplantaram as pelo binômio “Dilma + aborto” na última semana.

Sejam quais forem as causas, Serra tem uma tarefa mais difícil do que Dilma. Para encurtar a distância que o separa da petista, ele precisa reverter a tendência do eleitorado. Brigar contra a inércia requer novas armas. O rolo no Rio pode ser uma delas: associar medo/insegurança à rival. Dura missão para uma bolinha de papel.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Entre Linhas e Entrelinhas


Por favor, peço que leiam o post abaixo e me digam onde eu escrevi que Chapadinha era um paraíso.

Pois é! Teve blogueiro que além de entender o contrário do que está escrito ainda especula sobre o que não foi dito nem pensado, insinuando que o objetivo do texto é abrir desculpa para possíveis atrasos de salários de parte da prefeitura.

Entendo ser muito complicado para quem tem envolvimento com o grupo de Isaías Fortes abordar a responsabilidade (ou obrigação) dos gestores que cumprem seu papel com o funcionalismo quando o ex-prefeito nem isso fazia.

Assim como naquela época, hoje não há motivos para atrasos, já que os recursos chegam normalmente. Caso haja qualquer problema com pagamento dos servidores cobraremos explicações.

O resto é loucura de quem não consegue entender sequer o que está escrito nas linhas imagine as entrelinhas de qualquer texto.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

O Passado Manda Notícia


A notícia que segue – divulgada na capital – é pra quem acha que a Lei atual impede os prefeitos de atrasarem salários:

“É de miséria a situação dos funcionários contratados pela Prefeitura Municipal de Paço do Lumiar lotados na Educação. A prefeita Bia Aroso, até hoje, não pagou o salário deles e nem o transporte escolar. Os pobres coitados não sabem a quem recorrer. Vivem se escondendo dos comerciantes de suas ruas e bairros. Não têm mais crédito em lugar nenhum. O Ministério Público bem que poderia ajuizar uma ação de retenção das verbas do município para pagamento dos salários atrasados e a comarca acatar a sugestão”.

Além de Paço do Lumiar, Timon – outro grande município maranhense – tem salários de servidores atrasados.

Chapadinha tá mesmo longe de ser o paraíso, mas teve tempo que os governantes não cuidavam de pagar os funcionários. Muita gente esqueceu ou prefere não falar desse legado maldito.

Dilma 14 Pontos a Frente de Serra


Pesquisa Vox Populi/iG divulgada nesta terça-feira mostra que a vantagem da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, em relação ao tucano José Serra aumentou para 12 pontos percentuais. Segundo o Vox Populi, Dilma tem 51% contra 39% de Serra. Na última pesquisa, realizada nos dias 10 e 11 de outubro, a vantagem era de 8 pontos (Dilma tinha 48% e Serra 40%).

Os votos brancos e nulos permaneceram em 6% e os indecisos passaram de 6% para 4%. Se forem considerados apenas os votos válidos (sem os brancos, nulos e indecisos) a vantagem subiu de 8 para 14 pontos. Dilma tinha 54% e passou para 57%. Serra caiu de 46% para 43%. A margem de erro da pesquisa é de 1,8 ponto percentual para mais ou para menos.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Eleições Presidenciais Notas e Opiniões


Tanto Faz
Para os grupos políticos de Chapadinha a eleição presidencial não existe literalmente. Ninguém se manifesta, não há carros de som, reuniões ou carreatas. Essa falta de preocupação com o futuro do Brasil deve ser porque tanto faz Dilma ou Serra nada mudará na política tupiniquim com p minúsculo.

Aborto
Depois se beneficiar de uma campanha contra a candidata Dilma sobre o tema do aborto, o assunto voltou-se contra Serra. É que repercutiu em todo o mundo a revelação de que a mulher do presidenciável, Mônica Allende, fizera aborto a pedido dele, segundo revelou uma ex-aluna de Mônica. Verdade ou não esse fato, a questão do aborto é tão dramática na vida das pessoas que quem posa de ser contra apenas para ganhar votos acaba se dando mal.

Arrastinho do 13
Pelo que se viu ontem em São Luis, se a campanha de Dilma for depender exclusivamente da mobilização de seus aliados sarneistas a candidata está perdida. A carreata de Serra, comandada por Castelo, Jackson e Roberto Rocha foi bem maior que a de Roseana em favor de Dilma.

Argumento
O argumento de que votar em Dilma é o mesmo que fortalecer Sarney é de uma fraqueza impressionante. Caso o tucano vença alguém tem dúvida que Sarney e o PMDB estarão junto com ele na chamada “governabilidade”? Além disso, seria justo piorar o Brasil agora pra melhorar o Maranhão daqui quatro anos?

A Ficha é Limpa, o Jogo é que é Sujo
A Polícia Federal apreendeu ontem (17), por determinação da Justiça Eleitoral, aproximadamente 1 milhão de panfletos com propaganda contra o PT devido à posição favorável à descriminalização do aborto. A gráfica que imprimia os jornais é de propriedade de Arlety Satiko Kobayashi, irmã do coordenador de infraestrutura da campanha de José Serra (PSDB), Sérgio Kobayashi. Arlety é dona de 50% da Editora Gráfica Pana Ltda, localizada no Cambuci (SP).

CNBB: Tô Fora
Os bispos católicos do Regional Sul 1 divulgaram declaração afirmando que não “indicam nem vetam candidatos ou partidos e respeitam a decisão livre e autônoma de cada eleitor”. A declaração informa ainda que a Regional “não patrocina a impressão e a difusão de folhetos a favor ou contra candidatos”. A Polícia Federal apreendeu em uma gráfica no centro de São Paulo, 1 milhão de folhetos com a marca da CNBB, por ordem do Tribunal Superior Eleitoral. O texto dos folhetos relaciona o PT e a candidata à Presidência, Dilma Rousseff, à defesa da legalização do aborto. Segundo a gráfica, a encomenda foi feita por um assessor da Diocese de Guarulhos.

Sem Anjo Nem Demônios
Dilma e Serra são quadros de respeito da política nacional. Nenhum dos dois é santo ou demônio, nem existe ameaça de o Brasil quebrar com a vitória de um ou de outro. A diferença está no modo de conceber a economia e as ações do governo mais voltado para os pobres, como vantagem pra Dilma, no meu modo ver. O baixo nível da campanha com roteiro de ódio religioso e preconceito que já contaminou os tucanos e ameaça tomar conta dos petistas é o pior retrocesso político dos últimos anos.

domingo, 17 de outubro de 2010

Para Trás É Que Se Anda

Por: Janio de Freitas

A exigência religiosa volta a submeter a política; a responsabilidade não é apenas do radicalismo em nome da fé mas também dos candidatos

A eleição presidencial degenera de vez. O passado retorna, sem cuidar nem sequer de disfarçar-se.

A exigência religiosa, legítima para os possuidores de crença, ultrapassa-os e volta não só a submeter a política em seu nível mais alto de participação democrática, que é a escolha pelo voto geral do futuro governante de toda a nação.

Esse movimento vai também contra a liberdade de pensamento, na ação para impedir a opção política e cultural de candidatos e dos eleitores não religiosos ou religiosos sem extremismo. Mas a responsabilidade pelo retrocesso não é só do radicalismo político em nome da fé cristã. É também dos candidatos.

José Serra está a um passo de reproduzir atos e fases deploráveis, parte das quais vitimaram a ele próprio. Sua oferta de compra da adesão eleitoral - com promessa de aumento extra do salário mínimo, duplo aumento das aposentadorias com o salário mínimo e acréscimo específico, doação de dinheiro federal a mais de quatro mil municípios para aumentarem os professores do fundamental - segue duas matrizes notórias do populismo: Adhemar de Barros e Orestes Quércia.

E depara-se com uma interrogação: onde ficam a defesa inflexível do "rigor fiscal", tese permanente de José Serra, e suas persistentes acusações ao atual governo de gastos e aumentos excessivos? O velho populismo reanima-se.

O "santinho", semelhante a cartão de crédito, que José Serra começou a distribuir na sexta-feira, em uma espécie de comício com professores de São Paulo, traz, de um lado, a sentença "Jesus é a verdade e a justiça", seguida da assinatura de José Serra. Mas não só: tem a combinação das imagens de Jesus e do próprio Serra. Na outra face: "Serra é do bem".

A biografia de Serra inclui um colar de disputas eleitorais, em perto de 25 anos. Em nenhuma delas, porém, o cristianismo do candidato se mostrou, nem Jesus, Deus e Maria foram feitos personagens de sua busca de votos. O nível político não cai sozinho: cai levado por pessoas.

Quem não está com Serra não é do bem, é a sugestão da sua carteirinha de associado a Cristo. Tal como os que não professavam, antes do golpe, posições conservadoras, eram (ou são) nacionalistas, ou defensores da Petrobras e de reformas estruturais.

Todos "perigosos comunistas", gente do mal, negadora de Deus. Fase que tanto custou ao país superar.

E que a caravana comandada em Goiás por Serra, ostentando e beijando um terço, lembrou como imitação da Marcha com Deus pela Família e a Liberdade, puxada em Rio e São Paulo pelo reverendo da CIA, padre Payton, nos preparativos finais para o golpe.

Serra não precisa desses recursos. Como não precisava da campanha do medo em 2002, com a qual nada ganhou. E que retoma em versão nova, transferindo o medo a um governo de Lula para o medo à posição humanitária e científica contra a criminalização do aborto como princípio.
Se vencer com esses recursos, Serra não terá por que orgulhar-se da vitória. Se perder, fica sob o risco de ser-lhe atribuído um papelão idêntico ao da campanha do "eu tenho medo".

Dilma Rousseff mantém mais recato, mas não fugiu ao retrocesso.

Sua candidatura nasceu à maneira da Velha República, escolha fechada e impositiva, patrocínio escancarado do presidente.

Jamais escondeu, até sentir-se oprimida por católicos e evangélicos, seu apoio à descriminalização do aborto. A "mensagem aos cristãos" que lançou anteontem, por mais cuidadosa que seja em driblar uma inversão de posições, é uma concessão evidente contra as suas convicções.

Com fins meramente eleitorais, culminância da vida de praticante cristã agora invocada quase a cada fala sua. O que também é, nos dois casos, uma forma do fisiologismo que envenena a política.

Seria uma desgraça termos superado a ameaça de Collor, cinco anos depois da democratização, para jogarmos no passado o que foi percorrido nos 25 anos de pós-ditadura.

É o que está acontecendo sob nossos olhos indiferentes, no entanto.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Decisão do TSE Coloca Magno na 2ª Suplência

Em decisão monocrática datada desta quinta-feira, o ministro do TSE Marcelo Ribeiro deferiu o registro de candidatura do ex-prefeito Raimundo Louro (PR). Ele foi cassado pelo TRE do Maranhão por ter contas anuais, de 2001, e do Fundo Municipal de Saúde (FMS), do ano 2002, rejeitadas pelo TCE. No entanto, a Câmara de Vereadores de Pedreiras aprovou a contabilidade do ex-prefeito. Para o TSE, o que vale é este último julgamento.

Com essa decisão, Raimundo Louro teve validados seus 20.763 votos, virando o segundo deputado eleito da coligação governista que elegeu Jota Pinto (PR), com 22.548 votos, e Alexandre Almeida (PTdoB), com 18.344 votos. Nesse cenário, Tatá Milhomem (DEM), eleito na última vaga do “chapão”, perderia o posto, virando o primeiro suplente e colocando Magno na segunda.

No entanto, Milhomem e Magno podem ter uma chance retornar á situação anterior caso o TSE também defira a candidatura da ex-prefeita de Caxias Márcia Marinho (PMDB). Ela teve 23 mil votos, mas esta com o registro cassado pelo TRE pelo mesmo problema de Louro. Nesse cenário, Milhomem permaneceria como último eleito do “chapão” e no novo cálculo a oposição poderia perder um deputado e Magno voltaria à primeira suplência.

Segundo analistas, a alteração na ordem da suplência não impossibilita a posse de Magno como deputado, pois estimam-se que a governadora chame de três a quatro deputados do “chapão” para seu futuro secretariado.

O Debate Fora de Lugar


Por: Alberto Dines – Jornalista (Observatório de Imprensa)

Atenção aborteiros, abortistas, antiabortistas, dilmistas e serristas: retirem o assunto dos palanques. Vocês estão brincando com fogo – literalmente.

Os editais dos Autos da Fé já estão afixados nos templos e nas quermesses, as fogueiras estão preparadas. Guerras santas começam por ninharias (a questão do aborto jamais foi premente) e acabam em banhos de sangue.

Este debate ensandecido e despropositado sobre a descriminalização da interrupção da gravidez está empurrando o país para um modelo de república clerocrata, antirrepublicana, semidemocrática.

E a mídia tem grande responsabilidade neste arranca-rabo infantilóide. Nossa imprensa é, por tradição, sacristã: os grandes jornais sempre correram atrás das batinas e disputaram arcebispos e cardeais para lustrar suas páginas. Jamais chamaram um pastor luterano ou um intelectual agnóstico.

Quando se tratou de lembrar os 200 anos de fundação da imprensa brasileira, a presença de Hipólito da Costa como patrono do jornalismo foi determinante para que as comemorações fossem suspensas: além de maçom, denunciou ao mundo as barbaridades da Inquisição portuguesa.

Quando em 2008 o presidente Lula foi ao Vaticano acompanhado por seus entes queridos para assinar uma Concordata com o papa Bento 16, a grande imprensa – toda ela, sem exceção – manteve o assunto sob rigoroso sigilo, na clandestinidade. A pedido do governo. Uma imprensa altiva, libertária, não se importou em autocensurar-se ostensivamente [ver emissões abaixo]. Em nome da fé, vale tudo.

Começava naquele exato momento o ensaio geral para a atual caça às bruxas que fatalmente nos conduzirá ao total desrespeito e esquecimento pelos direitos humanos.

Convém lembrar que o 3º Programa Nacional de Direitos Humanos, apresentado pelo governo com toda a pompa e circunstância no final de 2009, foi abortado – a palavra é esta, não existe outra – para acalmar as lideranças católicas e evangélicas (ineditamente irmanadas) que orquestravam a oposição ruralista e da mídia.

Os chefes militares adoraram, lavaram as mãos. Os civis também sabem fazer suas guerrinhas sujas.

A igreja católica rasgou naquele momento uma corajosa história escrita ao longo de três décadas contra a tortura e o desaparecimento dos presos políticos, só para evitar que a nação brasileira começasse a encarar a possibilidade de debater a questão dos símbolos religiosos em prédios públicos, do casamento gay e… do aborto.

O infalível retorno dos bumerangues traz de volta a questão do aborto – vociferada, enraivecida, envilecida, brutalmente simplificada.

E condenada a ser erradicada da nossa agenda política pela radicalização eleitoral que a mídia açula e assopra.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Notas da Quarta, 13 de outubro de 2010



Blog de Novo Visual
Estamos trabalhando no novo visual e em mudanças editoriais no blog. Por isso, a produção não tem acompanhado o ritmo desejado. Tenho certeza que os leitores aprovarão as novidades. Até lá peço compreensão.

Traíras no Espeto
A respeito de nosso artigo “Os Traíras e a Encruzilhada do Governo” a prefeita Danúbia manifestou a este jornalista que pretende reformular sua equipe levando em conta o critério da lealdade. Citou alguns nomes de peso que deixarão o governo. Mas por prudência prefiro não revelar nomes agora.

Na Mosca
O artigo do Dr. Almir Moreira é extremamente oportuno. Trata-se de uma análise política que deve servir de subsídio para os debates e ajuste de rumos do grupo situacionista. É costume deste blog tratar do tema das eleições nos aspectos políticos, de marketing e jornalístico. E assim que o tempo permitir faremos isso com relação a todos os grupos e personalidades mais relevantes do cenário local.

Razões do Inconsciente
Passadas as eleições, o persistente combate a Magno Nota 10 escapa a qualquer critério de proveito político prático e reforça a tese de que, por sua votação, ele ainda é nome a ser vencido por todos os demais. Só que ainda tá longe da próxima eleição pra tanta artilharia pesada contra ele.

O Peso de Ricardo
O deputado estadual Ricardo Murad (PMDB), reeleito nestas eleições como o mais votado no Estado, disse à coluna ‘Estado Maior’, do jornal O Estado do Maranhão, que é sua vontade que a governadora Roseana Sarney faça uma reforma no secretariado antes do início do próximo mandato, em janeiro de 2011. Tal declaração deixa claro o peso político de Ricardo que é amigo de Magno Nota 10.

Campanha de Oitiva: Magno Venceu


Por: Almir Moreira - Advogado

As especulações andam a solta sobre o resultado das eleições proporcionais na Chapada, sobretudo no seio do Grupo Político de Magno Bacelar. Entre várias dizem: o ex-prefeito está cambaleante, há algum tempo, não é mais o mesmo, aquele que entusiasmou Chapadinha. Tudo isso é dito de forma aleatória, e tratado como se a política fosse uma ciência exata, embora até nesta nem sempre dois mais dois é igual a quatro – quem conhece bem matemática sabe o que estou dizendo.

Ao meu sentir Magno obteve no nosso Município uma votação estrondosa, condizente a realidade política exercida por ele e seu grupo neste momento. Tudo o que foi realizado no período eleitoral e no que o antecedeu foi para minguá-lo de votos, isso não foi feito de forma pensada ou de má-fé, mas foi fruto do descaso com a vanguarda deste Grupo e da falta de tantas outras ações que aqui não dar para elencar, afinal este Grupo dirige o Município. No geral se deixou o certo pelo duvidoso, se deixou gente que produz por gente que não produz nada. Foi permitido o que nunca se deve fazer na política: a divisão, a perda de aliados, os casos da vereadora Francisca Aguiar e do Vice-Prefeito Antonio Prata são emblemáticos.

Faltou o que sobrou em outras localidades recursos financeiros, digo sobrou, em razão da pífia votação por elas apresentadas. A estratégia foi errada, o modo de operacionalizar foi errado, a centralização exacerbada castrou a participação de muitos que podiam contribuir com qualidade para o bom desenvolvimento da campanha. Muitos dos erros cometidos na campanha anterior para prefeito foram repetidos. Política não pode ser tratada como um negócio qualquer onde em primeira mão o critério da confiança passa primeiro pela família. Essa campanha foi de oitiva como se diz lá no interior, feita aleatoriamente e ao sabor dos ventos.

É por tudo isso, que a votação de Magno foi estupenda, e mostra o quanto ele goza de prestigio e confiança. Tivesse um mínimo de organização, estratégia e um comando mais democrático os votos seriam outros, e certamente a situação seria outra. Esses votos foram os votos do carisma, faltaram os que poderiam ser conquistados, caso a postura do comando dessa campanha tivesse sido diferente.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Deus, Aborto, Voto e Hipocrisia


Por: Robert Lobato

A campanha presidencial tomou um rumo esquisito e ao mesmo tempo perigoso neste segundo turno.

O tema “religião” surge como conteúdo de discussão e debate acirrados, só faltando um dos candidatos aparecerem num confessionário diante de um padre para declarar os seus pecados.

A questão de fundo tem a ver com a posição de Dilma e de Serra em relação ao aborto. Como sempre, diga-se de passagem, um debate dominado pela hipocrisia, pois não se trata de ser contra ou a favor, mas reconhecer que isso é uma prática corriqueira no país, seja nos confins do interior do nordeste, seja nos grandes centros urbanos do sul e sudeste.

Aos políticos, sobretudo os que disputam neste momento o mais alto posto político do Brasil, cabem tratar a questão como algo de saúde pública, pois centenas de mulheres morrem todos os anos por causa dessa prática, uma vez que não possuem garantias do Estado sequer para serem informados sobre os riscos de um aborto.

Penso que nenhuma brasileira sai por aí engravidando para depois simplesmente interromper de forma violenta a sua gravidez. Muitos que defendem a vida como “valor cristão”, e por isso se dizem contra o aborto, são os mesmos que negam o direito à vida digna para jovens pobres mulheres vítimas de abusos sexuais, por exemplo.

O estudo “Magnitude do Aborto no Brasil”, da ONG Ipas Brasil, aponta que a cada três crianças nascidas vivas no país, existe um aborto induzido. Afirma ainda que as regiões que mais sofrem com o problema são o Norte e o Nordeste.

De acordo com o Ipas, de 2000 a 2004, ocorreram 697 mortes em conseqüência de gravidez que termina em aborto, principalmente de mulheres com idade entre 20 e 29 anos (323 óbitos no período).

Nesse sentido, afirmar que é contra o aborto é fácil, difícil mesmo é enfrentar a realidade das estatísticas sobre essa questão no Brasil, onde quem leva a pior é sempre a mulher das classes menos favorecidas deste país.

Escapou Fedendo

Por: Almir Moreira – Advogado

Escapou fedendo: Essa expressão é muito usada aqui no nordeste, isso para dizer que "foi por pouco' ou "foi por um triz", esse adágio popular surgiu quando um sujeito teria tomado "umas e outras" e ao fazer limpeza da fossa de um Colégio em Pernambuco, caiu na vala. Minutos após, submergiu coberto de excrementos, e disse...escapei fedendo, quase morri. A partir daí, tudo que é quase se diz escapou fedendo.

Roseana certamente cheirosíssima escapou fedendo do segundo turno e, isso levou ao erro de Alexandre Pinheiro e meu quando prevíamos a existência de outra votação para governador. Batemos na trave, como bateram analistas e institutos de pesquisas. Não adianta lamentar, é hora de lutar por uma reforma eleitoral, a começar pela critica ao instituto da reeleição. A possibilidade de reeleição para cargos executivos acentuou o uso da máquina do Estado como máquina eleitoral.
As provas são muitas, no Maranhão a proliferação de convênios às vésperas do processo eleitoral atestou bem isso, na eleição presidencial o uso da máquina foi escancarado e chegou a cumulo de espionar um candidato e favorecer outro. Existe uma atuação massiva, sistêmica da máquina estatal em favor dos que desejam manter o poder a qualquer custo. Lula participa da eleição como se fosse o candidato não vê limites que separam seu Partido e o respeito às instituições. No episódio de violação de dados fiscais agiu como um delinqüente.

É hora ainda, de aproveitar o máximo desta incipiente estabilidade jurídica para promover através da Justiça uma verdadeira vigilância cívica. O uso dos instrumentos de participação popular no controle da coisa pública devem ser estimulados, também. Juntos podem fazer o que o Povo não vem fazendo. Esta é uma tarefa da vanguarda da política.

sábado, 9 de outubro de 2010

Será Possível Uma Terceira Via?

Por: Janyo Ayres – Professor

Faço uma análise da situação de Chapadinha após as eleições do dia 03 de outubro e vislumbro um quadro de dificuldades pelos próximos dois anos, pelo menos.

Como seria maravilhoso se esta profecia não se cumprisse, mas devo alertar a nossa população e a nossas lideranças políticas de que poderemos enfrentar uma crise sem precedentes nestes dois anos que restam para o final da atual gestão municipal.

A senhora Roseana Sarney conseguiu uma vitória quase heróica já no primeiro turno, o que lhe deu um fôlego especial, pois, segundo previsões, dificilmente superaria o outro possível oponente em um segundo turno. Roseana deve essa vitória não tanto aos apoios que teve mas, sim, ao alto índice de ausência do eleitor às urnas, aliado aos votos brancos e nulos, que interferiram no percentual de votos, possibilitando à governadora uma suposta vantagem de mais de 50%.

Na verdade, se o percentual de votos fosse maior, talvez ela não tivesse alcançado metade dos votos válidos. Contudo, a constatação mais óbvia neste momento é a de que a família Sarney ganhou uma força a mais pelo menos para quatro anos e, acredito eu, talvez chegue a oito, já que, caso Dilma venha a ganhar, Roseana permaneça a seu lado e ambas façam um bom mandato, Roseana fará seu sucessor.

E para Chapadinha? O quadro é desolador. Além de nenhum dos dois grupos políticos principais fazer seus deputados, poderão conseguir as migalhas que a governadora quiser conceder. E depois, se qualquer um dos grupos for até ela reivindicar obras, verbas e projetos, a governadora se sentirá agradecida? Ela já não terá dado o consolo para os dois grupos? Que dívida política ela terá para com os grupos locais, caso ela já conceda cargos para ambos? No máximo, ficará nisso. A população, que é bom, ficará à espera, como telespectador de uma realidade política distante e acastelada.

A situação, na verdade, está propícia a mudanças. O alto índice de ausência, votos brancos e nulos ocorridos no Maranhão também se refletiu em Chapadinha. Isso fora a quantidade de votos que a população local concedeu a candidatos de fora. Juntando todos os votos não dados aos dois grupos dominantes, chega-se a mais de 20 mil votos, quantidade suficiente para eleger um prefeito, em 2012. Será que não estamos frente a uma situação de fortalecimento de uma terceira via, ainda não incorporada por lideranças locais, mas já presente a partir deste vácuo político?

A mensagem que as duas últimas eleições vém dando aos mais atentos é a de que a polaridade entre Magno e Isaías vem sendo rejeitada por grande parte da população. Na verdade, a chamada "terceira via" só não se faz uma realidade por falta de estrutura financeira, política e, até, de estratégia para chegar ao poder.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Os Traíras e a Encruzilhada do Governo

Por razões administrativas e fundamente políticas a composição do governo da prefeita Danúbia Carneiro precisa ser repensada. O governo vive uma encruzilhada decisiva para os destinos do grupo político que vem comandando a cidade nos últimos doze anos.
Faz tempo se percebe a extrema necessidade de um choque de gestão, de melhoria dos serviços prestados e uma redefinição de prioridades administrativas. Essa luta por qualidade depende de uma equipe eficiente, capaz e unida. É neste ponto que a política é fundamental para a compreensão do tamanho da tarefa de impedir a volta do passado de salários atrasados e descalabro administrativo que acaba de mostrar força eleitoral preocupante.

Por lógica, além da obrigação de prestar o melhor serviço possível à sociedade, os ocupantes de cargo de livre indicação, os chamados cargos comissionados têm o dever de lealdade com que os colocou ali.

Na última eleição as traições e o jogo-duplo de alguns integrantes do governo e do grupo foram tão evidentes que não há pessoa minimamente atenta para a temática política que não conheça exemplo de gente “costurando pra fora”, fingindo apoiar Magno e votando ou pedindo votos pra outros.

Tamanha visibilidade tiveram os “traíras” que só restou dois caminhos à prefeita Danúbia: ou retira essas ervas daninhas de sua equipe e segue em frente ou passa o maior atestado de franqueza que a cidade já viu e perde qualquer chance de chegar bem a 2012.

Política com Futebol



Por: Almir Moreira - Advogado Palmeirense

A magia tá voltado, com dois gols do Mago Valdivia o Palestra goleou o Avaí por 4 X 1, pela 28ª rodada do brasileirão. Kleber o Gladiador – já merecia seleção há muito tempo – também deixou o seu. Jogo limpo, disputado e vencido por quem foi melhor. Alegria total para palmeirenses e para os amantes do bom futebol, dois dos gols palestrinos foram de dar água na boca, sensacionais!

Enquanto isso, na política acabamos de sair das eleições proporcionais e majoritárias, disputa intensa, mas regada a espertezas e muita grana. A lei apelidada de ficha limpa – lei não tem nome, tem numero – embora tecnicamente capenga foi erigida com boa intenção, mas está longe de resolver os reais problemas da política e do processo eleitoral. É um cisco de bondade no oceano de brechas para a prática de ilícitos eleitorais; brechas contempladas pela nossa legislação eleitoral.

Questões mais importantes foram deixadas de lado. É necessário rever o instituto da reeleição para cargos executivos, estar provado que o candidato a reeleição desequilibra o pleito, pois normalmente usa a máquina do poder; deveria se pensar numa quarentena para os ocupantes de cargos de confiança de alto escalão, como concorrer com Raimundo Cutrim ou Ricardo Murad, por exemplo? A negociata continua viva, aqui prenderam gente sob suposta alegação de compra de votos, deviam ter prendido também quem estava vendendo e, lá no povoado Tamboril teve até briga na Associação de Moradores pela partilha do dinheiro dado pelos votos dos associados. Enfim, há muita coisa para se discorrer sobre o tema, que acabaria necessariamente numa reforma eleitoral.

O futebol também tem muita malandragem, muito negócio escuso, mas seu resultado não nos afeta tanto assim – hoje meu humor vai muito em função do Palmeiras – mas, a política diz respeito diretamente a nossa vida, e o do jeito que estar, só pode participar como candidato não é quem estar legal, mas quem estar com $Real.

Timon: Promotor Manda Investigar Agressão Contra Jornalista


O promotor Antônio Borges Nunes Filho, da 2ª. Promotoria de Justiça da Comarca de Timon, enviou ofício de número 229/2010, ao delegado regional da Polícia Civil Antônio Valente Filho que proceda à abertura de inquérito sobre a possível tentativa de homicídio praticada pelo empresário Ramon Alves contra o jornalista Edmundo Moreira da Silva, ocorrida na noite de sábado (02), no pátio do posto Piauí, localizado na avenida Francisco Carlos Jansen, na cidade de Timon.

No momento, o jornalista fazia cobertura de uma operação da Polícia Federal que apurava a troca de votos por combustível para o candidato a deputado federal Professor Sétimo (PMDB) e para a candidata a governadora Roseana Sarney (PMDB).

Segundo o ofício do promotor, o jornalista foi “agredido violentamente pelo empresário, inclusive chegando a ser jogado na pista de rolamento da avenida Francisco Carlos Jansen para que fosse atropelado pelos vários veículos que por ali trafegavam, numa clara tentativa de ceifar-lhe a vida”.

E disse mais o promotor em seu ofício ao delegado: “Requisitamos, por conseguinte, a adoção das providências pertinentes insertas no art.6º. do Estatuto Adjetivo Penal, sem prejuízo de outras, a critério dessa digna autoridade policial, especialmente a oitiva da vítima e das testemunhas que ela apontar, analisando a possibilidade de prisão temporária do agressor, porque foragido após a covarde agressão à incauta vítima, que, no momento da violência sofrida estava desempenhando o seu mister profissional”.

Federação dos JornalistasAo tomar conhecimento da agressão, o presidente do Sindicato dos Jornalistas do Piauí – ao qual Edmundo Moreira é filiado e já foi inclusive vice-presidente –, Luis Carlos Oliveira denunciou o fato à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e repercutiu a matéria no Portalodia.com, de Teresina.

No comunicado à Fenaj, Luis Carlos pediu que a tentativa de morte ao jornalista fosse comunicada ao Ministério da Justiça e pedisse para ele garantias de vida, já que seu agressor representa um grupo político muito forte que tem tratado com violência aqueles que cruzam seu caminho, mesmo que seja apenas desempenhando o trabalho de jornalistas, divulgando os acontecimentos. A operação da Polícia Federal no posto de combustível tentando coibir a compra de votos era um fato jornalístico. Menos para os representantes dos Sarneys no Estado do Maranhão. (Portal Hoje)

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Fácil de Entender, Difícil de Explicar


Fenômeno de Genro
Apesar de o sogro ter declarado apoio a Magno Bacelar – com direito cartazes e letreiros no muro da residência – o pinheirense Luciano Genésio, candidato a deputado estadual e genro do Dr. Talvane Hortegal, saiu das urnas de Chapadinha com 718 votos (igual a Marcos Caldas, Edmilson Carneiro, Aderson Lago e outros que tinham grupos políticos apoiando). Alguém sabe explicar como ele conseguiu?

Irmão Coragem
Enquanto Magno tirou 9.220 e deu 4.607 votos a Antonio Bacelar, fazendo-o mais votado pra federal em Chapadinha. Bacelar teve 5.319 em Coelho Neto e deu míseros 679 a Magno Nota 10. Mui hermano, não?

Dilma ou Serra no Maranhão


Por: Robert Lobato

No Maranhão nada é fácil para as oposições, mas também elas não facilitam nada para facilitar as coisas.

O grupo Sarney acaba de sair vitorioso das urnas: elegeu a governadora, os dois senadores, a maior bancada na Câmara e na Assembleia Legislativa.

Agora temos o segundo turno das eleições presidenciais em disputa. De um lado a candidata do PT, Dilma Rousseff, que apoiou e pediu votos à Roseana Sarney junto com o presidente Lula.

Na outra ponta está o candidato do PSDB José Serra, que veio ao Maranhão no primeiro turno declarar apoio ao candidato oposicionista Jackson Lago (PDT), que por sua vez acaba de anunciar que renovará compromisso com o tucano neste segundo turno das eleições presidenciais.

Se a política no Maranhão for vista somente pelo prisma do anti-sarneísmo puro e simples, ou seja, da luta pelo equilíbrio das forças políticas do estado, já que o grupo ganhou tudo por estas terras no primeiro turno das eleições, o mais racional seria as oposições optarem pelo candidato José Serra para presidente do Brasil.

O risco dessa alternativa é o eleitor desavisado se misturar com muitos canalhas que vestem uma manta anti-Sarney para tirar proveito aqui e alhures, além de não se ter 100% de garantia de que, num eventual governo Serra, o senador José Sarney não recomporá com o tucanato nacional por conta da correlação de forças políticas no Congresso Nacional.

Por outro lado, se prevalecer o entendimento de que o que está em jogo é a disputa de dois projetos nacionais, que o importante é o Brasil continuar avançando com o PT a frente do governo central, mesmo que o Maranhão continue sendo hegemonizado pelas forças sarneístas, então a opção por Dilma é mais adequada.

Contudo, o que a população precisava saber e entender, é que por trás de uma ou outra opção orbitam interesses dos mais variados tipos e tamanhos, alguns legítimos, outros nem tanto. Não tem santo e nem besta nessa história. E muito menos “almoço” de graça.

Enfim, eis o dilema das oposições: Dilma ou Serra, Brasil ou Maranhão?

Oposição: Apelo para Vota em Serra é Motivado Pelo Ódio, Diz Helena Heluy


O título deste texto é inspirado numa leitura que a deputada Helena Heluy (PT) faz do apelo feito pelo ex-governador cassado Jackson Lago (PDT) – terceiro colocado na eleição – pedindo votos para José Serra (PSDB) no segundo turno da eleição presidencial.

“Nós já lemos pelos jornais, já um apelo para que o Maranhão vote no candidato Serra. Esse apoio, na minha compreensão, não é fruto de uma reflexão; vem com a marca do ódio”, avaliou a deputada petista que não concorreu à reeleição.

Helena Heluy defendeu que é “necessário sacudir esse ódio mais e mais no Maranhão, fazer com que as eleições sejam apenas mais um momento dessa disputa, que eu acho pequena demais, já tenho colocado, a todo tempo”.

A deputada do PT assegurou que é necessário colocar a política no Maranhão numa perspectiva para o futuro, de modo que o debate e o agir político vão além da discussão apenas em torno do sarneísmo, seja a favor ou contra. Correta a avaliação de Helena.

“Eu acho que não é mais tempo para isto, e a eleição para presidente da República de 2010 tem esta marca profunda de se criar um pensamento novo, mas um novo que não seja apenas um rótulo ou palavra de ordem. Algo diferente até para que possamos sacudir todo esse eleitorado, todo esse sentimento de cidadania para a construção ou fortalecimento da democracia”, defendeu Helena, acertadamente.
Blog do Itevaldo

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Notas da Quarta, 06 de outubro de 2010


Nova Enquete
O blog agora quer saber quem o leitor prefere para presidir o Brasil. A votação fica no ar até 30 de outubro. Quem vota nulo, branco ou não pretende votar, tem a opção “nenhum dos dois”.

Deputados e Secretários
Numa coisa os adversários de Magno têm razão: na primeira suplência ele só assume se a governadora assim desejar. Ou melhor: na primeira suplência e com pelo menos cinco possíveis secretários (Ricardo Murad, Max Barros, Cutrim, Roberto Costa e César Pires) eleitos no chapão, Nota 10 só não assume a vaga se a governadora quiser evitar isso ao extremo de não contar com nenhum desses colaboradores. Além disso, no jogo de poder entre esses nomes de peso há quem não se contente em ser simples deputado. Quem viver verá.

Leviandade Comezinha
Embora figuras de proa do grupo de Isaías tenham sido apanhados pedindo votos pra Flávio Dino (caso da Empresária Belezinha, fato negado por ela), logicamente não quer dizer que o ex-prefeito tenha traído Roseana, pelo menos não há prova disso. Daí a dizer que Magno tenha votado contra Roseana em Chapadinha, é desconhecimento de causa de um blogueiro de fora e leviandade de um local.

Eu Já Sabia
Vejam o que escrevi no dia 22 de setembro. “O leitor deste blog e da Folha do Baixo Parnaíba já viu críticas subjetivas afetas à vida pública do ex-prefeito Isaías. Expliquei sem demonizá-lo na vida pessoal, porque não vejo com bons olhos seu retorno à prefeitura e ao comando das instituições, mas nunca uma palavra de desconsideração de sua força eleitoral e apelo popular, que, em Chapadinha, na minha opinião, rivaliza em tamanho com a de Magno Bacelar.” Viram? Não precisa ser cientista político nem ter bola de cristal pra antecipar o que os números da votação mostraram: a polarização entre os dois grupos.

Divisão Mortal
Votação de Isamara 15.467 ; votos de Vagner 7.834; a soma dos dois 23.301, votos suficientes para eleger qualquer deles em ambas coligações. Uns estão a dizer: se Vagner tivesse apoiado Isamara ela seria deputada hoje. Outros sacramentam: se Isamara e Isaías fossem com Vagner este estaria na Assembleia. Uns e outros têm razão.

Chapadinha Rebelde
Flávio Dino teve uma votação espetacular em Chapadinha. Contrariando pedidos das maiores lideranças locais o resultado mostrou que há um dado novo a ser colocado em qualquer análise futura, a crescente opinião pública independente.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Belezinha Nega Relação com Zé Reinaldo e Flávio Dino

A empresária Ducilene Pontes Belezinha informa ao blog, por meio de comentário na matéria que noticiou sua detenção, que não estava com material de campanha dos candidatos Zé Reinaldo e Flávio Dino. “Eu estava com santinhos impressos da candidata Isamara Menezes e do candidato Cleber Verde, não dos demais”, disse a empresária. Com relação aos candidatos ao governo e senado impresso ou mesmo se os santinhos estavam em branco, nada esclareceu.

O Recado das Urnas


Por Almir Moreira – Advogado

Ninguém se iluda as urnas na Chapada disseram: nós queremos um dos dois, Magno ou Isaias. A eleição restou novamente polarizada, de caráter nacional e estadual tornou-se municipal. Não tem jeito, parece torcida de time de futebol, cada um tem seu lado. Não há quem roube fatia significativa destes votos, quem se atreve a romper com essa lógica termina por ajudar indiretamente um dos lados. E assim, o tempo vai passando, melhor, as eleições vão se sucedendo.

A verdadeira política vai sendo realizada por estes protagonistas, o resto, ah, o resto, vai virando resto, enfurnado num discurso puritano nega a política de alianças, e com isso cavalga cada vez mais longe do alcance do poder – objeto da política. Desde a invenção da política e do reconhecimento da pluralidade social as alianças fazem parte do jogo do poder. Esta é a regra e, ponto final, os maiores expoentes da esquerda e da democracia nunca a negaram. Prestes, Juscelino, Tancredo, Ulisses e o retirante Lula exerceram com maestria essa arte, por sinal, este último só venceu a eleição Presidencial quando se abraçou com antigos desafetos, gente considerada de direita, retrógada e até novos políticos egressos do universo religioso da teoria da prosperidade.

Esses negadores da política de alianças vivem num mundo à parte? Não, só são enrustidos na paróquia, fora dela aceitam tudo, Zé Reinaldo, Castelo, Roberto Rocha e outros do gênero... Todos são decentes, democratas e, porque não, socialistas.

Magno e Isaias, embora mais velhos, saíram fortalecidos, e será por eles que passará a futura eleição municipal.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Nenhum dos Candidatos de Chapadinha Consegue Eleição

Os três candidatos a deputado estadual com domicílio eleitoral em Chapadinha não tiveram sucesso nestas eleições. Magno terminou em 26º lugar no geral, foi o 18º da coligação e, com isso ficou na 1º suplência – deve, portando, assumir a vaga de um dos prováveis deputados chamados por Roseana, que venceu no primeiro turno, para compor o futuro secretariado. Magno obteve 33.547 votos. Isamara teve 15.467, Vagner teve ao todo 7.834.

Em Chapadinha mais uma vez o ex-prefeito Isaías demonstrou força política ao transferir para a filha Isamara 9.347, 127 a mais que Magno que tirou 9.220.

Amanhã trago mais números, análises e comentários.

domingo, 3 de outubro de 2010

Boca de Urna Ibope Prevê 2º turno

Pesquisa de boca de urna do Ibope aponta segundo turno entre a governadora Roseana Sarney (PMDB) e Flávio Dino (PCdoB). A governadora tem 47% dos votos, oscilando de 44% a 50%, contra 28% do comunista, oscilando de 25% a 31%.
O ex-governador Jackson Lago (PDT) aparece logo em seguida, tecnicamente empatado com Dino com 23% porque, pela margem de erro, Jackson tem de 20% a 26%.

Empresária Belezinha Detida Pela Polícia Federal

Uma denúncia de compra de votos levou a empresária Dulcilene Pontes Belezinha a ser detida pela Polícia Federal a poucos instantes. Neste momento a empresária se encontra prestando depoimento numa sala do fórum da cidade. De acordo com informações, dentro do carro da empresária a PF teria encontrado santinhos impressos da candidata a deputada estadual Isamara Menezes (PP), junto com os candidatos a senador Zé Reinaldo (PSB) e governador Flávio Dino (PC do B).

A Polícia Federal prometeu maiores informações nas próximas horas.

Filas e Tranqüilidade Marcam Votação de Chapadinha


Texto e Foto – Willian Fernandes

Chapadinha - Diferentemente das eleições de 2006, quando Chapadinha não tinha suas grandes lideranças concorrendo, apenas contava com candidatos de fora, apoiados por políticos locais, além do empresário Gomes e do médico Talvane Hortegal, as eleições deste ano despertaram um grande interesse do eleitorado local.

A prova disso, é a grande movimentação, desde cedo, nos locais de votação. Mas apesar das filas enormes, há um clima de tranqüilidade. O principal problema tem sido a demora dos idosos na hora de votar, o que gera impaciência por partes de alguns, principalmente dos que vieram de outras cidades.

Expectativa

A grande expectativa nestas eleições em Chapadinha é quanto à votação dos três principais candidatos a deputado estadual da cidade, Dr. Magno, Isamara e Vagner Pessoa. O clima é de eleição municipal, com muita fiscalização de parte a parte.

Todos sabem que, independente de quem seja eleito, o resultado das apurações no município podem influenciar nas próximas eleições municipais, por isso, a preocupação tanto de candidatos quanto de cabos eleitorais em mostrar força política em Chapadinha.

Carreata Encerra Campanha de Nota 10 em Chapadinha

A carreata que encerrou a campanha de Magno Nota 10, ocorrida ontem (02), foi um dos maiores eventos que Chapadinha já viu. Milhares de Pessoas de carro, moto, bicicleta e mesmo a pé, percorram quilômetros pelas principais avenidas da cidade. Para ver as fotos da carreata acesse o blog de Willian Fernandes e da Campanha de Nota 10.

sábado, 2 de outubro de 2010

Nota 10 Esclarece

Meus companheiros,

Reafirmo a todos vocês que sou candidato e meu número é 43110, Dr. Magno, Nota 10.

Andam dizendo ao povo, através de panfletos ou mesmo de boca em boca, que não sou candidato. Isso é coisa de candidatos derrotados que querem garimpar votos às custas de quem os tem, através de falsos expedientes, a fim de confundir a mente do povo.

Estes são candidatos que não têm a simpatia dos eleitores e apelam neste momento, temerosos de nossa vitória, que será dada pelo povo, neste domingo, dia 3 de outubro.

CUIDADO, meu povo!!!

Não se deixe enganar.

Dr. Magno Nota 10 é candidato e será o seu deputado estadual.

Conto com sua sinceridade.
Obrigado.

Magno Nota 10

Pesquisa Aponta Roseana e Flávio Dino no Segundo Turno


A segunda rodada de pesquisas do Instituto Constat indica que a eleição para o Governo do Maranhão será decidida em segundo turno. Segundo a pesquisa, a candidata do PMDB, Roseana Sarney, lidera a corrida ao Palácio dos Leões com 41% das intenções de votos. Flávio Dino (PCdoB) é o segundo com 26%, enquanto Jackson Lago (PDT) aparece em terceiro com 21% das intenções de voto.

Os demais candidatos Marcos Silva (PSTU), Saulo Arcangeli (PSOL) e Josivaldo Corrêa (PCB) estão com 1%, cada um. Nulos e brancos somam 3%, e 7% dos eleitores disseram estar indecisos. A soma de todos os candidatos chega a 50%, nove pontos percentuais a mais que a candidata peemedebista.

A pesquisa Constat, contratada pelo Jornal Pequeno, foi realizada entre os dias 29 de setembro e 1º de outubro, e está registrada no TRE-MA sob o número 37704/2010. Foram entrevistados 1.500 eleitores em 40 municípios de todas as regiões do estado. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos com um intervalo de confiança de 95%.

RejeiçãoSegundo a sondagem da Constat, a candidata Roseana Sarney é a mais rejeitada entre os eleitores, com 28%. O segundo com maior índice é Jackson Lago, com 24%, enquanto Flávio Dino tem 4% de rejeição.

Segundo turno
A Constat voltou a fazer simulações sobre o segundo turno. Na disputa entre Roseana Sarney e Flávio Dino, o candidato do PCdoB venceria com 46% das intenções de voto contra 45% da peemedebista. No cenário em que disputam o segundo turno Roseana e Jackson, a peemedebista venceria com 52% das intenções de voto contra 37%. E na terceira simulação, entre Flávio Dino e Jackson, a vitória seria de Dino com 26% contra 21% de Lago.

Na pesquisa para o Senado, o candidato Edison Lobão lidera com 25% das intenções de voto. Na sondagem anterior, ele tinha 21%. Na disputa pela segunda vaga, João Alberto continua à frente, mas, segundo o Constat, o candidato José Reinaldo cresceu em relação à última pesquisa e chegou a 17% das intenções de voto. Já o candidato do PMDB passou de 17% para 18%.

Os candidatos do PSDB aparecem também empatados tecnicamente disputando a quarta colocação. Edson Vidigal tem 8% e Roberto Rocha 7% das intenções de voto. Paulo Rios e professora Socorro, ambos do PSOL, Noleto (PSTU) e Adonilson (PCdoB) aparecem com 1% das intenções de voto cada um.

Segundo a pesquisa 7% dos entrevistados votam nulo ou em branco e 14% estão indecisos.

No Maranhão Não se Vota, Diz-se Não à Oligarquia

Por: Roberto Kenard

Marx escreveu que a história só se repete na forma de farsa. As oligarquias se movem nesse tempo circular, é a farsa histórica por excelência.

Em entrevista antes da campanha eleitoral, Flávio Dino disse que havia a necessidade de republicanizar o Maranhão. Ou seja: proclamar a República no Maranhão. Não se trata de mera frase de efeito. Ela carrega implicações históricas e políticas da maior importância. Sua urgência extrapola o calendário eleitoral, muito embora só no calendário eleitoral ela ganhe força para se materializar.

As oligarquias tratam o Estado como propriedade particular, quem está fora do círculo familiar dominante não passa de agregado. Não é à toa que sua visão é patrimonialista.

Nos Estados oligárquicos o voto assume características dramáticas: não se trata do exercício da cidadania pura e simplesmente, mas quase uma decisão de vida ou morte.

O Maranhão é o último Estado oligárquico do Brasil. Há 45 anos a mesma família mantém o Estado sob suas rédeas, o que gerou uma cultura particular: clientelismo, domínio sobre a Justiça em todos os âmbitos, visão de desenvolvimento apartada da realidade, relações públicas pautadas pelo parentesco e pelo grau de amizade. O Estado é uma Casa Grande.

Domingo o maranhense dirá nas urnas se quer permanecer preso no tempo circular ou se deseja caminhar livre no tempo histórico. Se deseja derrubar a Casa Grande ou se prefere ficar preso no quartinho dos fundos. Se quer continuar a ser tratado como agregado ou se prefere ficar ereto e caminhar como cidadão.

No Maranhão, por conta da oligarquia Sarney, infelizmente, as nuances foram apagadas da história. Ou você é contra ou você é conivente.

Ao votar no domingo, portanto, o maranhense estará dizendo sim ou não ao domínio de uma única família. Nos Estados oligárquicos, as eleições são sempre plebiscitárias.

O bom senso, os homens de bem esperam, prevalecerá.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Isamara Teria Passado Borrachudo em São Luis

O Jornalista Luis Cardoso noticia que a candidata Isamara Menezes teria passado cheques sem fundos em pagamento de despesas de campanha. Isamara nega. Reproduzo abaixo as matérias, depois volto comentando.
Luis Cardoso
Uma malharia de São Luís recebeu dois cheques da candidata a deputada estadual, Isamara, ao valor de R$ 5 mil cada.

Na malharia, a candidata esnobava que estaria eleita, sendo uma das mais votadas no Maranhão.
Os dois borrachudos foram dados para pagar serviços de confecção de bandeiras para a candidata.

Isamara é filha do ex-prefeito de Chapadinha, Isaias Fortes, e sobrinha do ex-deputado e candidato Wagner Pessoa.

Outro Lado
A candidata a deputada estadual, Isamara, ligou agora pouco para a redação deste blog a fim de desmentir que tenha dado um cheque no valor de R$ 5.000,00 para a confecção de bandeiras da sua campanha.

Segundo a candidata, o pagamento feito em cheques foi de R$ 1.900,00 e não de R$ 5.000,00 conforme publicação aqui no blog.

Isamara adiantou que vai processar a dona da malharia e o titular deste blog. Vamos aguardar!

Comentário Nosso
Nem todo cheque que bate na conta sem fundos configura estelionato ou mesmo calote, nem faz do emitente velhaco contumaz ou pessoa sem moral. Isso vale pra candidata, seu irmão e para mãe da prefeita.

Magno Vence Enquete


O resultado da enquete do blog é seguinte:

Magno Nota 10 - 20%

Isamara - 18%

Edmilson Carneiro - 17%

Marcos Caldas - 15%

Vagner Pessoa - 9%

Enquete na Internet recebe votos de todos os lugares e não quer dizer que o resultado se aplique à votação dos candidatos em Chapadinha ou no Estado. O equilíbrio entre os candidatos mostra que o blog tem leitores em todas as correntes de opinião. Obrigado!