segurança

segurança

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

O Show de Confissões de Marcelo e Cia



Vou publicar (em itálico) o inteiro teor da tréplica do vereador Marcelo e comento abaixo de cada um dos parágrafos. Peço, antes, um favor aos leitores: que sejam compreensivos. Que usem de tolerância para com os incapazes, com as asneiras do autor seja ele quem for.

A vida é sempre recheada de contradições. Quando um individuo não domina determinada tarefa não custa nada pedir ajuda, seja ela voluntária ou paga, isto até ontem se chamava assessoria porem a partir de hoje na visão do bobo da corte, que antes era candidato a rei momo, passa a ser psicografia.”

Bingo! Como não existe método de alfabetização de adultos tão rápido, o parágrafo admite que a expressão textual do vereador depende de assessoria ou de ajuda dos universitários como no programa do Silvio Santos. O problema é que o escritor fantasma demonstra mais raiva de mim do que o chefe e expõe o vereador, porque me ataca no subsolo e oferece o telhado de vidro da vida pública do parlamentar e família ao meu dispor para o revide. Haja desproporção! Vamos adiante.

“É muito fácil afirmar que não roubou urnas, que não tem processo, que não é violento. Na verdade nunca teve oportunidade de fazer nada disso, pois quando se deseja conhecer um homem basta dar a ele poder.”

Show de confissão! Não precisava tanto! Difícil mesmo é negar roubo, processos e violência quando tudo é de conhecimento público. O poder já lhes foi dado (ou usurpado) e o que fizeram taí dito por vós. Sem mais comentários!
“O grande jornalista Alexandre Pinheiro que no seu perfil usa muito o verbo no passado dizendo foi, foi.... Hoje não é nada. Perdeu a dignidade, a decência, a barriga a independência e sabe lá Deus o que mais.”
Agradeço a distinção do grande. Quanto ao que eu fui e sou na vida profissional posso dizer que tenho um ofício, estou em vias de obter outra formação que por mais nobre não me dará direito de me achar melhor nem mais completo que ninguém. Por isso, para além do temporário mandato, pergunto - qual é mesmo a profissão do meu ilustre oponente?

Noto sistemática preocupação com minha aparência física. Hum!!! Sei não! Essa inquietação é, latu sensu, revelação psicológica.

“Ao assumir o SBT recusou-se a devolver o prédio no final do contrato, somente devolvendo quando percebeu que seria despejado pela justiça.”

Aqui abro parênteses para explicar que apenas forcei que uma lide comercial fosse deliberada pela via correta do judiciário. Qual o problema? Vamos adiante que o que segue tem a ver com o tema de vida em sociedade, urbanidade e boa educação.

“Não deve falar de quem agrediu um provocador que não se garantia na hora do pega pra capar.”

O ”agredir” acima é agredir mesmo. No exato significado de acometer, assaltar, atacar. Poderia ter usado “brigar” no sentido de lutar e combater braço a braço, mas a memória inconsciente da covardia não deixa. Neste ponto retomo o parágrafo anterior. Se tivesse procurado resolver a divergência pelo caminho da civilidade, teria buscado a justiça e processado o “provocador”. Mas... essa é uma vereda mais que estreita para pés trogloditas. Prossigamos.
“A sua grande magoa é ter perdido, com seu pai, uma eleição quando tinha a máquina administrativa na mão, porem não é chorando que se dar o troco.”

Há aqui uma inversão de lacrimejo. Quem é hoje o carpideiro da decisão que a corte máxima da nação proferiu contra seu pai por contas irregulares? Ademais, fosse aquela vitória tão limpa não seria necessário o roubo de urnas tão vivo na memória de todos e confessado acima. Isso sim é usurpação bandoleira da vontade do povo.

"Vá a luta deixe de ser subserviente e mercenário você pode conquistar o seu espaço. Na sombra do nota zero todas as lideranças do passado já desapareceram e você que ainda nem é liderança não tem a menor chance."

O final não poderia ser melhor pra definir as aparências e os ocultos do que pensam sobre mim. Não necessito tanto pra afirmar o valor e o espaço que tenho. Vocês mesmos reconhecem que posso ir mais além. Obrigado! Levantam, também, um debate interessante sobre as lideranças do passado. Mandaram bem, trato disso depois, incluindo o que penso sobre os estertores políticos do Sr. Isaías Fortes. Quanto ao mercenário, deixo como resposta, o tempo que mandavam e desmandavam como símbolo de todos os governos federal, estaduais e municipais infames que combati e o histórico de vossas firmas laranjas, fundações fraudulentas e suas relações de vassalagem até com o Magno Bacelar (as escondidas é claro!) quando tem algum numerário envolvido.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

A Siber Sarjeta

Sei que algumas pessoas se irritam com o que escrevo. No entanto, não sabia que era tão odiado pelos PEBALAIOS (mais ainda que o Magno e a Danúbia, presumo) até ver que eles estão transformando a internet num ambiente insalubre e promíscuo escondidos pelo biombo abjeto do anonimato.

O DNA deste terrorismo eletrônico é manjado. Já os conheço desde os tempos dos famigerados “pasquins” - bastava eu criticá-los sobre seus desmandos públicos para que a difamação contra minha intimidade campeasse. A baixaria é a mesma e nunca me amedrontou. Medo, aliás, não me causavam nem quando tinham delegados calças-curtas, jagunços e eram acobertados por secretários de segurança.

Pelo contrário, reitero: tiro da frustração dos detratores ocultos a energia, a coragem e o prazer para continuar a dizer o que penso e assinar em baixo.

Em tempo: esta ainda não é a resposta ao vereador Marcelo, esse merece um combate digno, pois certo ou errado assume o que faz e assina o que gostaria de saber escrever. Até mais tarde!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

A Primeira Ameaça

Na segunda-feira, 25, às 23:40h, recebo em meu blog – veja na matéria da Carta de Seguro da Oposição, abaixo - o seguinte comentário de um certo Marcelo Menezes: “os comentarios que vc posta no seu blog, é melhor vc deixar de colocar o nome do meu pai porque nao vai da certo.so um aviso” (sic). Logo em seguida, pedi no mesmo espaço que o vereador Marcelo confirmasse ou negasse a autoria. Como até agora nada falou a respeito e, pelo histórico que tem o parlamentar tucano, decidi denunciar o fato às autoridades, já que nem minha rotina, itinerários e conteúdo do blog pretendo mudar.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Quando a Covardia Serve à Incompetência e Vice-Versa

Não podendo me acusar de condenação penal por ter agredido alguém sem chance de defesa, sem ter como me atribuir roubo de urnas, nome encardido em tribunais, usado pessoas humildes para abrir firmas e endividá-las, não poder dizer que deixei salários dos servidores em atraso... O ghost writer do vereador Marcelo bate na velha tecla do meu passado de divergência com o ex-prefeito Magno como se ele e família nunca tivessem esculhambado a governadora Roseana, até em nível pessoal, numa época em que isso rendia algumas obras e cargos no governo balaio. Dias depois lá estão na briga por boquinha jurando amor (eterno) a todos os Sarneys.

Mas, o que salta aos olhos no blog do vereador é que num passe de mágica ele passou a se expressar melhor ali que na tribuna da câmara, deixando patente que aquilo não passa de psicografia barata. Põe-se um irresponsável metido a violento para assinar textos de um pusilânime. Isso não é seqüela transversal é opção de vida medíocre. E pena mesmo é não haver transplante de cérebro, elixir contra a incompetência do vereador Cavalo-de-Santo ou intervenção pra diminuir a covardia do Espírito Oculto.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Fracassa Manifestação da Oposição

Embora tenham divulgado na imprensa da Capital que o evento da manhã de hoje contou com a participação de 200 caros e quatro mil pessoas em motos e bicicletas, a manifestação de empresários ligados ao ex-prefeito Isaías não chegou a ter 50 carros (48 veículos contados na metade do trajeto) e um número inexpressivo de populares.

Foto do encerramento da manifestação na Praça Irineu Galvão

sábado, 23 de janeiro de 2010

Carta de Seguro da Oposição


Depois que a prefeita Danúbia anunciou o início da obra da Avenida Ataliba Vieira um grupo de empresários ligados à oposição municipal tenta tirar uma Carta de Seguro convocando uma manifestação clamando por melhorias na via.

A intenção é diminuir os ganhos políticos de Danúbia e Magno com a obra de impacto. Faz-se um evento reivindicatório para afirmar que as melhorias só vieram depois da pressão, para que os esforços da prefeita sejam creditados a eles.

Resta saber quem vai servir de massa de manobra para o protesto marcado para esta segunda-feira, 25, e se a população vai engolir esse engodo.

Recorte do Blog da TV Mirante de Chapadinha mostrou a prefeita anunciando a obra dia 07 de janeiro.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Haiti: A Destruição de um País que Nem Existia


Só para se ter noção das dificuldades na vida dos haitianos, a estimativa do Produto Interno Bruto do país, ficou em quase US$ 7 bilhões, em 2008 – é uma quantia tão baixa que em apenas cinco dias de doações pós-terremoto um terço disso já foi atingido. No mesmo período, por exemplo, a economia do Brasil gerou riquezas no valor de US$ 1,5 trilhão.

2010


quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Mais uma Palavra Contra a Satanização da Crítica


Pelo que tenho visto nos blogs e periódicos da Igreja, meus textos têm, com efeito, deixado os padres de Chapadinha bastante nervosos. Tanto que tenho merecido algumas linhas do intelectual mais jactado da paróquia, que deixou o hermetismo de lado, desceu do salto e perdeu a elegância no último post.

Entre consideração de cretino, mudança de palanque e esquecimento de ilustre currículo de lutas, meu “estado de graça de tantas contradições”, virou ataque a guisa de defesa. Chagaram atrasados, porque tirante os insultos – que disso nem estes foram capazes, vossos novos aliados da Boa Vista já tentaram o mesmo sem sucesso.

Nesse caminho perderam a compostura na parte das “matrículas em cursos universitários” tentando imputar fato anterior, às miríades de benesses inquisitorialmente atribuídas. Poderia, pelo que me permite nosso breve, porém prazeroso convívio, revidar no campo pessoal essa intromissão, mas não recorro a leviandades e o que interessa é o debate público.

Do ponto de vista do debate público o que lhes desconcertam é a difícil coexistência entre a reserva moral pretendida e aceitação atávica de pequenos favores dos que acusam de corruptos.

No Boletim da Paróquia do dia 27/12, por exemplo, no espaço informativo item 9, revelam que o transmissor da Canção Nova fora levado a São Luis para que se ajuste ao Canal 9 que pertence à prefeitura. Ponto em que se pergunta aos que tanto cobram transparência: quem teria levado o transmissor?

Seria estritamente legal a utilização da prefeitura (membro federativo do Estado Laico, cláusula pétrea da Constituição) para fazer proselitismo religioso? Podem eles negar categoricamente que um pecuarista “fazedor de política”, como católico ou “catoliquinho”, tenha ofertado bois e outros bens para sorteios de final de festejos?

Não imputei crime a ninguém apenas não aceito a satanização dos críticos como resposta ao desnudar de transigências e concessões humanas que todos fazemos – inclusive eles.